ANTT flexibiliza restrições de tráfego de caminhões na Ponte Rio-Niterói

Com o objetivo de tentar minimizar os impactos da pandemia do coronavírus na economia, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), publicou, no Diário Oficial da União de hoje (29) uma resolução flexibilizando as restrições de acesso de veículos de carga na Ponte Rio-Niterói. Com isso, os caminhões, acima de dois eixos, ganharam uma espécie de “janela” pelo período de 60 dias, e até o dia 30 de junho podem transportar as suas cargas pelo local.

Segundo documento, “a medida vale até que esta data ou até que cessem as razões de saúde, que ensejam a proibição de tráfego de veículos de carga na Ponte Presidente Costa e Silva e seus acessos, na rodovia BR-101. “A medida prevista nesta Resolução não altera os limites de dimensão e peso ainda em vigor”, ressaltou a ANTT.

A TRIBUNA conversou por telefone com o policial federal e deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ) que renovou ofício na ANTT para a nova resolução. “ Em conversas com colegas senti essa necessidade, que será um ganho imenso para os caminhoneiros, que antes tinham que passar por uma estrada que não anda legal na estrada de Magé. A medida vai encurtar a viagem e garantir o desenvolvimento da economia no país”, disse o deputado Felício Laterça.

Em vídeo publicado em sua página do Facebook, ele comemorou a decisão da agencia e reforçou os impactos positivos da medida para a economia do Estado do Rio e do país.

“Quero dizer que foi uma vitória nossa. Oficiamos a Polícia Rodoviária [Federal], na pessoa do superintendente [Silvinei] Vasques, aqui no Rio de Janeiro, e ele, prontamente, mandou a equipe analisar, mandou para a ANTT, e houve a liberação do tráfego da ponte. Com isso, você tem uma viagem mais curta, uma viagem mais segura, não precisa ficar exposto nessa Niterói-Manilha. Economia para o caminhoneiro, economia para o dono da transportadora”, celebrou Felício Laterça.

Apesar dos esforços em prol da economia, o deputado federal aliado do governo Bolsonaro preferiu o meio termo no texto escrito no título da postagem do vídeo em suas redes sociais, reforçando a importância das orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Devemos sim preservar as recomendações da OMS de combate e proteção ao contágio, mas o país possui outras frentes que também estão sofrendo, uma das mais preocupantes, é a economia. A abertura da ponte visa dar um suporte aos caminhoneiros que precisam seguir viagem e dar mais chances ao país de vencer essa pandemia!”, escreveu o ex-chefe da Polícia Federal que está morando em Niterói.

A medida da ANTT também foi comemorada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), lembrou que a liberação do tráfego de caminhões pela Ponte Rio-Niterói sem restrição de horários atende a um dos pontos do Programa Resiliência Produtiva Firjan para garantir o abastecimento do país nesse período de emergência de saúde pública.

“Essa resolução está alinhada ao pleito da Firjan. É fundamental a livre circulação de caminhões nesse momento, em especial, como facilitador do abastecimento a toda população. A medida está na mesma linha da suspensão do decreto de restrições à circulação de veículos de carga na capital fluminense e vem auxiliar o provimento”, avaliou o gerente de Infraestrutura da Firjan, Isaque Ouverney.

A chefe da ponte, a policial rodoviária federal, Renata Dutra, ressaltou a importância da PRF na obtenção da decisão da ANTT, e reforçou que a decisão vale para caminhões acima de 2 eixos, mas que não inclui veículos com dimensões excedentes, nem veículos de transporte de cargas consideradas perigosas.

“Esse é mais um esforço da PRF importante para ajudar o caminhoneiro e quem está transportando todos os bens de consumo que os brasileiros compram, ajudando a economia. Então, a PRF empreendeu esforços, realmente foi uma medida que foi tomada com o máximo de celeridade possível, que a gente entende ser uma medida importante. O que eu gostaria de frisar é que os caminhões que transportam produtos perigosos continuam com as mesmas restrições de antes. E também os veículos com dimensões excedentes também continuam com as mesmas restrições de antes. Essa medida é para os caminhões acima de 2 eixos, não tem mais horários de restrição até o dia 30 de junho, a princípio”, sinalizou a policial rodoviária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 3 =