Antenas contra cerol podem chegar a outros veículos

Raquel Morais

Mais uma medida para expandir a proteção contra as linhas com cerol, chilenas ou caseiras, poderá entrar em vigor nos próximos dias. Atualmente, a lei 7.374/16 obriga o uso da antena dobrável para motocicletas, mas o Projeto de Lei (PL) 2.031/16 pretende alterar essa normativa, expandindo a obrigatoriedade para veículos ciclomotores e triciclos. O tema chamou atenção dos ciclistas da Liga Nacional de Bikes, da campanha Cerol Mata e da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), que ressaltaram a importância de algumas bikes também possuírem o dispositivo.

A proposta está tramitando na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) através do PL dos deputados Bebeto (PDT) e Tio Carlos (SDD). Segundo os autores, a atualização é necessária para garantir a segurança dos motoristas, já que na época da elaboração da norma alguns tipos de veículos não foram levados em conta. “Apesar dessa linha ser proibida, as pessoas usam e tem gente morrendo por conta dessa irresponsabilidade. Então a ideia do projeto é unicamente salvar vidas. A gente diz não a essas linhas cortantes e sim às antenas”, afirmou Tio Carlos.

Para Cláudio Santos, do conselho fiscal da CBC, quem usa bicicleta como meio de transporte, principalmente em estradas, deveria contar com esse equipamento de proteção. Já os ciclistas de alto rendimento, que competem, não vão adotar essa sugestão por interferir no resultado final, através da resistência do ar e peso. “Acho um absurdo continuarem usando essas linhas cortantes e na verdade é bom expandir essas ideias para as bikes, já que as pessoas ficam mais expostas. Na verdade, a velocidade de uma bicicleta não confere tanto perigo como uma motocicleta, mas pode machucar”, elucidou.

O coordenador da Liga Nacional de Bikes e da campanha Cerol Mata, Léo Ferreira, também se posicionou em nota sobre a medida. “A gente vem há muito tempo lutando contra linhas chilenas e similares. A alteração na lei da antena de fixa pra retrátil é importante porque nem todas as motocicletas podem usar a fixa. O uso é necessário sim, para proteger nossas vidas. Porém, acho que o Governo tem também que coibir o uso dessa linha assassina”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *