Animais abandonados em Niterói mobilizam a população nas ruas

Raquel Morais

Se para alguns o cachorro é considerado o ‘melhor amigo do homem’ tem muita gente que é o ‘melhor inimigo dos cachorros’. A prática de abandonar animais, mesmo sendo crime previsto no artigo 32 da Lei 9.605/98, é mais comum do que parece. Protetores de animais de Niterói confirmam essa afirmativa e registram muitas situações de abandono. Mas se de um lado os animais sofrem ao serem descartados, esses mesmos bichinhos são preenchidos de amor, carinho e cuidado.

Na última semana pelo menos dois cachorros foram abandonados no Parque Municipal de Niterói (Parnit). O universitário Pedro Araújo Oliveira, 26 anos, disse que encontrou um cachorro (vira lata misturado com pastor alemão) na sexta-feira (13), na estrada que vai para a Trilha Santo Inácio. “Ele foi muito dócil e eu e meus amigos achamos que era selvagem. Mas depois ele se comportou bem com a gente e obedecia o que a gente falava. Me deu muita pena pois a gente não podia ficar com ele e tivemos que nos despedir após o passeio. Foi muito triste”, lamentou.

A comerciante Adriana Pompeu, 43 anos, é uma protetora animal bem conhecida em Niterói e se envolveu, virtualmente, com o abandono de um cachorro doente no mesmo lugar. Ela garante que, por ela, nenhum animal abandonado ficará sem um lar e sem atenção básica. “É muito revoltante ver o abandono dos animais e é incrível como o ser humano nos surpreende a cada dia. O caso do cachorro abandonado que está doentinho, eu fiz uma articulação com um veterinário para fazer atendimento e medicação nele. Alguns amigos protetores conseguiram o resgate primeiro. Estamos juntos nessa causa e preparados para fazer o que podemos, ou não, para ajudar os animais”, desabafou.

O coordenador do Parque Municipal de Niterói (Parnit), Alex Figueiredo, explicou que o abandono pode ainda gerar outros problemas com os animais nativos do parque. “Infelizmente algumas pessoas não têm respeito aos seus pets e, dessa forma, os descartam em qualquer lugar. No caso do parque cometem um crime ambiental pois fazem a introdução de animais exóticos em uma unidade de conservação. Além do mais é cruel pois as vezes jogam filhotes de cães que, no fim, são apenas alimento para fauna como lagartos e cobras. Eles são considerados exóticos ao ecossistema brasileiro e colocam em risco diretamente o animal símbolo do parque, o cachorro do mato. Pode acontecer de terem doenças transmissíveis para eles”, reforçou.

O Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos (CCPAD) de Niterói informou que a educação e a castração são os eixos principais para um desenvolvimento de políticas públicas sólidas de proteção animal. O órgão busca conscientizar a população de que não se deve abandonar os animais. Com relação aos Parques Municipais, a Guarda Municipal recebe orientação sobre como observar pessoas em atitudes suspeitas com caixas ou mesmo com animais com cordas para fazer a abordagem necessária se for o caso de suspeita de abandono.

Cachorro precisa de lar

Um cachorro da raça pitbull foi encontrado na orla da praia de Piratininga, por policiais do Niterói Presente. Eles não sabem se o animal foi abandonado ou se fugiu de alguma residência. Ele foi levado para o DPO de Camboinhas e está sob cuidado dos policias militares, que querem achar um lar para ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × um =