Amigos de Fernanda Young lembram de histórias da niteroiense

Raquel Morais –

A escritora, apresentadora e atriz Fernanda Young faleceu no último domingo em Gonçalves, Minas Gerais (MG), e seu corpo foi sepultado no Cemitério de Congonhas, em São Paulo (SP). Mas foi em Niterói que a história dessa artista de sucesso e humor ácido começou já que Fernanda nasceu e cresceu espalhando sua alegria e colecionando amigos na cidade sorriso. Amigos e conhecidos da niteroiense lamentaram a morte precoce, aos 49 anos, e lembraram histórias engraçadas e embaraçosas que vivenciaram com a também roteirista.

Fernanda Young nasceu no dia 1º de maio de 1970 em Niterói e cresceu em Icaraí, na Rua Coronel Moreira César, junto com muitos amigos que dizem ter a vida marcada pela atriz. O fotógrafo Leonardo Costa, de 47 anos, é um desses exemplos. Ele conheceu Fernanda através de amigos em comum quando ela tinha uns 16 anos e conviveram por muitos anos colecionando histórias de muita gargalhada. “A gente tentava marcar encontro mas não conseguíamos efetivamente essa data. Ela tinha muitos amigos e era muito querida. Fotografei muitas vezes a Fernanda e esse foi meu marco de fotografar pessoas em poses, pois eu só trabalhava com fotojornalismo na época”, contou.

Ele relatou também que teve o privilégio de fazer um trabalho junto com ela. “O pai dela montou uma história em quadrinhos, ela adaptou essa história e eu desenhei esse projeto. É claro que a irreverência, a crítica e o humor ácido estavam presentes nessa ‘historinha’ e essa é uma lembrança boa que vou guardar para sempre. Esse trabalho ficou entre a gente mas contava a história de um super-herói que tinha poderes inusitados”, brincou em tom de mistério o morador de Charitas.

Young foi aluna do Centro Educacional de Niterói (CEN), mas o cadastro e boletim, por exemplo, não foram digitalizados, e os funcionários da escola não conseguiram localizar para a reportagem esses registros. O secretário Municipal das Culturas de Niterói, Victor De Wolf, também lamentou a morte da niteroiense. “Ela foi uma pessoa muito importante e nesse momento atual perder uma artista com representatividade e engajada, é muito triste. Ela fez seu nome no mundo das artes com ótimos textos e com certeza uma grande artista da cidade. Niterói perdeu mais um ícone da cultura”, ressaltou o também produtor cultural.

O próximo trabalho já estava pronto e em setembro Fernanda ia estrear, em São Paulo, uma peça junto com a atriz e amiga Fernanda Nobre. Elas já estavam ensaiando para entrar em cartaz com ‘Ainda Nada de Novo’, a história de duas artistas lésbicas em processo de criação da diretora (Young) e sua atriz (Nobre). Em suas redes sociais, Fernanda Nobre lamentou a morte da amiga e parceira de palco. “”Ainda está difícil de acreditar que eu não vou te encontrar agora à tarde naquela sala que todo dia você chegava dizendo ‘esse lugar é lindo’. Hoje é segunda [ontem] e iríamos continuar com a nossa rotina que nos acompanha há meses, nossos ensaios diários com pausas para gargalhadas. Conviver com você era aprender como ser artista na magnitude desta escolha, não à toa estávamos fazendo um espetáculo sobre o amor a arte: duas personagens, numa sala de ensaio, num processo profundo na criação de uma nova obra”, parte da publicação.

Fernanda Young era casada com o roteirista Alexandre Machado e morreu por complicações respiratórias, depois de uma crise de asma. Ela deixou quatro filhos: as gêmeas Cecília Maddona e Estela May, de 19 anos, Catarina Lakshimi, de 10 anos, e John Gopala, também de 10 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 1 =