Ambientalistas querem questionar o novo Plano Diretor de Niterói na Justiça

Anderson Carvalho –

O novo Plano Diretor de Niterói, sancionado na última segunda-feira (21) e publicado ontem no Diário Oficial do Município, é alvo de críticas de ambientalistas e líderes comunitários, notadamente da Região Oceânica. Os primeiros pensam até em acionar a Justiça para anular os efeitos do Plano na parte referente às lagoas de Itaipu e Piratininga. Acusam a prefeitura de incentivar a ocupação do entorno delas pelo especulação imobiliária.

“O novo Plano retirou a proteção ambiental em torno da Lagoa de Itaipu, que havia antes. Agora, será possível construir, favorecendo a especulação imobiliária, em detrimento do ecossistema da lagoa. Dizem que querem fazer um parque natural ali. Mas, como farão isso, retirando a proteção? Perdemos a batalha das audiências públicas e na votação na Câmara. Agora, pensamos em denunciar o fato ao Ministério Pùblico Estadual e a Justiça”, afirma o ambientalista Gehard Sardo.

A mesma preocupação tem o presidente do Conselho Comunitário da Região Oceânica de Niterói (CCRON), Gonzalo Telles.

“O novo Plano permite construção no Loteamento da Fazendinha (no bairro de Piratininga), o que antes não era permitido. O próximo passo é fazer um novo Plano Urbanístico Regional com a mudança do gabarito, permitindo prédios mais altos. Não só lá, mas, em outras áreas da Região Oceânica. O que vai causar um adensamento. Isso vai promover a piora da mobilidade e consequentemente, da qualidade de vida. A população quer uma região mais verde ou mais adensada? Outra mudança é a perda de 30% de área verde de Niterói. Temos que analisar o que os mapas mostram para tomar uma iniciativa. Podemos procurar o MP e a OAB-Niterói”, disse Telles.

Procurada, a Prefeitura explicou que o Plano Diretor é um instrumento de política urbana que não modifica os parâmetros construtivos mencionados. Portanto, os gabaritos estão mantidos e não foi criada nenhum autorização de construção no entorno de nenhuma lagoa da cidade.

5 thoughts on “Ambientalistas querem questionar o novo Plano Diretor de Niterói na Justiça

  • 3 de fevereiro de 2019 em 22:37
    Permalink

    Ambientalistas devem procurar o que fazer! O Novo Plano Diretor de Niterói, foi estudado, debatido e votado!

    Resposta
    • 4 de abril de 2021 em 20:46
      Permalink

      Sabemos que esse plano diretor visa tornar a agradavel Regiao Oceanica, igual à Copacabana ou Icarai, com predios altos tirando o verde bucolico, o estilo meio interiorano que agrada quem se mude para la, ou ja more ali a anos. Sera que o salario alto e as benesses e mordomias desses Prefeitos que nao pensam na Cidade nem no bem-estar dos cidadaos ja nao é o bastante para eles viverem na opulencia???? Sera que precisam ainda de mais dinheiro ganho nas negociatas com empreiteiras ou construtoras??? para deixarem construir fora do gabarito oficial original da Regiao??? irao porventura levar no caixao a grans suja que ganharem estragando a R.O.com uma selva de pedra???

      Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 21:43
    Permalink

    Ambientalistas deveriam proteger as florestas que estão sendo desmatadas e deixar Niterói se desenvolver de conformidade com a legislação atual, sem ficar inventando problemas e obstáculos ao desenvolvimento e a prosperidade da população!

    Resposta
    • 4 de abril de 2021 em 20:52
      Permalink

      A ganancia de Prefeitos e Construtoras tira a beleza, a graca, a originalidade de regioes antes pro tegidas por decretos, leis.etc.

      Resposta
  • 4 de abril de 2021 em 20:50
    Permalink

    A ganancia de Prefeitos e Construtoras tira a beleza, a graca, a originalidade de regioes antes pro tegidas por decretos, leis.etc.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × dois =