Alvos de megaoperação no Rio têm ‘filial’ em São Gonçalo

A organização criminosa que atua no Complexo da Penha, no Rio de Janeiro, que foi alvo de megaoperação na manhã desta terça-feira (24), possui ramificações em São Gonçalo, na Região Metropolitana. A informação foi confirmada pelo secretário de Estado de Polícia Militar, coronel Luiz Henrique.

De acordo com o coronel, os criminosos utilizam comunidades do Complexo do Salgueiro para esconder criminosos do Rio e até mesmo de outras regiões do Brasil. Os bandidos são ligados à facção criminosa Comando Vermelho (CV).

Questionado pela reportagem de A TRIBUNA, durante entrevista coletiva concedida no final da manhã desta terça-feira no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), o secretário afirmou que a comunidade gonçalense permanece sendo monitorada tanto pela PM quanto pela PRF.

Cel. Luiz Henrique Foto Vítor d’Avila

“O Salgueiro ainda é um dia pontos fortes dessa facção criminosa, apesar do trabalho que a gente vem desenvolvendo com a PRF. A região de São Gonçalo ainda é um ponto de observação nosso. Eles ainda recebendo lá criminosos de outras comunidades e elementos de outros estados. Isso está sendo mapeado e monitorado”, disse.

Baleada em casa

A operação, no entanto, teve alta letalidade. Gabriele Ferreira da Cunha, de 41 anos, moradora da Chatuba, morreu ao ser atingida por uma bala perdida. Na coletiva, o tenente-coronel Uriá, do Bope, confirmou que ela foi atingida dentro de casa.

Além disso, pelo menos dez suspeitos morreram em confronto com os agentes. Outros dois suspeitos, feridos, foram socorridos aí Hospital Getúlio Vargas. De acordo com a PM, eles estão presos sob custódia na unidade de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.