Alunos temem ficar sem vagas na rede estadual

Aline Balbino

Escolas fechando as portas, fins de turnos noturnos, transferências para redes municipais. A crise econômica finalmente atingiu a educação e está preocupando profissionais e estudantes. De acordo com o Sindicato dos Profissionais de Educação (Sepe), as escolas estaduais de Niterói não estão recebendo mais matrículas para Ensino de Jovens e Adultos (EJA) no turno da noite.

Dois colégios fecharão as portas definitivamente, como é o caso do Ciep 251 Dona Maria Portugal, no Baldeador e Colégio Estadual Doutor Souza Soares, em Santa Rosa. O Colégio Estadual Brigadeiro Castrioto (Cebric), em São Lourenço, em Niterói, terá o fim do turno noturno. Os alunos serão remanejados para a Escola Estadual Raul Vidal, no Centro.

Alunos do Ciep 251 Dona Maria Portugal serão transferidos para o Ciep 447 Antinéia Silveira Miranda, que fora municipalizado pela Prefeitura de Niterói.

“Temos medo. Além de ser mais distante para todos nós, é perigoso. Estudamos a vida inteira aqui e amamos nossa escola. Temos professores e diretores que lutam pela gente e agora vão nos jogar em um lugar que nem conhecemos”, disse uma aluna de 14 anos.

Em São Gonçalo a situação não é diferente. O Colégio Estadual Coronel João Tarcício Bueno, no Paraíso, fechará as portas. Três unidades acabarão com o turno da noite também. É o caso do Ciep 408 Sergio Cardoso, em Trindade, com 150 alunos. Esses estudantes serão alocados na Escola Estadual Lauro Correia, no mesmo bairro. A mudança abrangerá também o Colégio Paulinho Pinheiro Batista, em Santa Catarina, que tem 180 alunos. Não há novo local definido ainda. O Ciep Marluci Sales, em Tenente Jardim, com 70 alunos, também encerrará as atividades e virará arquivo público, segundo o Sepe.

Alunos do Ciep 130 Doutor Elias de Miranda Saraiva, no bairro Rio Várzea, em Itaboraí, também serão remanejados para unidades ainda não definidas. Os turnos serão encerrados em 2017.

Funcionários do Cebric, que preferiram não se identificar, informaram que a decisão já é oficial pela Seeduc. Tanto que no sistema Conexão Educação, onde são feitas matrículas e rematrículas, não consta mais o turno noite como opção. Segundo professores, a comunidade escolar foi pega de surpresa com essa informação. Pais e alunos já protestaram e amanhã devem ir novamente às ruas cobrando o retorno dessas vagas.

Segundo Lucas Hippólito, diretor geral do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe), a orientação foi geral de que escolas vão fechar.

“A orientação foi no Estado inteiro. O Sindicato está recebendo informes de seus núcleos regionais de que escolas e turnos estão sendo fechados. É impressionante que no apagar das luzes do ano um governo em frangalhos politicamente, com um ex-governador preso, decida poupar dinheiro em cima da educação. O secretário trata a gente como se fôssemos recurso, joga de lá pra cá”, disse.

A Prefeitura de São Gonçalo informou que enviou ofício ao Estado informando que não tem condições que absorver os alunos na rede municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + quatro =