Alta do diesel pode deixar Região Metropolitana e Baixada sem ônibus

Novo reajuste de 8,9% no preço do diesel pode levar à falta de ônibus na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O alerta foi feito pelo Setrerj, o Setransduc e o Transônibus, sindicatos que representam empresas em dez municípios da Baixada Fluminense e na região de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá e Tanguá. O combustível teve um aumento de 47% nas refinarias em 2022.

Após a confirmação do novo aumento nesta terça-feira (10), são esperadas reduções na operação das empresas. Assim como poderá haver uma adaptação da frota atual em circulação à capacidade financeira. Segundo comunicado dos sindicatos, a alta agrava a crise econômica e o cenário previsto é de racionamento de combustível, priorizando determinados serviços e linhas de ônibus, em horários de maior movimento.

Além disso, se não houver medidas para amenizar o impacto da alta do diesel, os sindicatos pretendem manter a maior parte da frota nas garagens, como opção para amenizar a crise. O que pode vai provocar um impacto direto no deslocamento diário de mais de três milhões de passageiros.

Ainda de acordo com o comunicado, o óleo diesel é o principal item no custo de operação das empresas de ônibus, representando cerca de 32% do total, com o novo aumento. Em Magé, a empresa responsável por operar na cidade corre o risco de paralisar as atividades, e alertou a Prefeitura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.