Aliança de Lula e Alckmin deve ser formalizada nesta semana

Adversário político do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições passadas, Geraldo Alckimin (PSB) será indicado a vice-presidente do petista no pleito deste ano, que ocorre em outubro. O nome do ex-tucano será formalizado em reunião na sexta-feira (8), com presença de Lula,

A indicação, contudo, não significa que Alckimin será o vice na chapa de Lula, o que ainda será apreciado e analisado pelo ex-presidente. O presidente do PSB, entretanto, garante que o partido irá compor a campanha nas eleições presidenciais de 2022.

“Está confirmado. Será a indicação formal e oficial do Alckmin como vice, para a apreciação do Lula e do partido dele. Mas [a composição da chapa] é uma coisa praticamente segura”, disse Siqueira ao site Antagonista.

No fim de março, o ex-presidente esteve em Niterói, e assim como o PSB, ganhou o apoio do PcdoB para o próximo pleito. Mais cedo, Lula também falou sobre o encontro da sexta para a rádio Lagoa Dourada, do Paraná.

“Eu vou ter uma reunião na sexta-feira em que o PSB vai propor o Alckmin de vice, e isso nós vamos levar para discutir no PT”, disse.

A união do petista com o ex-tucano representa uma aliança de opostos do cenário político brasileiro dos últimos dez anos pelos menos. A possível chapa Lula-Alckmin tem o objetivo de unir forças da esquerda e da direita, para vencer o Jair Bolsonaro (PL) em outubro.

O presidente da República, no entanto, ficou fortalecido depois do último dia de troca de partido entre pré-candidatos a eleição e reeleição para deputados estaduais, federais, senadores e governadores. O PL, partido de Bolsonaro, se tornou a maior bancada do Congresso Nacional, com 75 parlamentares, mais que o dobro da posse presidencial, quando tinha 33 deputados.

Foto: Divulgação / PT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.