Alerta para o “golpe do Uber”

Augusto Aguiar

Um motorista do aplicativo Uber lançou um alerta para que o usuário desse serviço tenha muito cuidado ao solicitar um veículo. De acordo com ele, ao buscar uma passageira no bairro Almerinda (São Gonçalo), identificar a solicitante e também identificar-se, percebeu que a passageira estava muito nervosa. Ao perguntar se havia ocorrido alguma coisa e ao mesmo tempo mostrar para a cliente sua placa e modelo do veículo para que a mesma tivesse a certeza da identificação, a passageira afirmou: “Isso não quer dizer nada”, acrescentando que cerca de um minuto antes do motorista chegar, um outro condutor apareceu no mesmo endereço, sendo que estava acompanhado de um homem. Ela conferiu a placa, nome, etc.

A mulher afirmou que o tal condutor (que estava com um carona) não afirmou nada quando chegou. O homem que estava como carona foi quem falou e perguntou: “o nome da senhora é (…) ? Pode entrar, a acorrida é da senhora”. Segundo o motorista do Uber, a passageira estranhou e indagou: “Mas com dois no carro?”. O passageiro então alegou: “É que eu sou instrutor dele (referindo-se ao motorista em silêncio)”. O carona continuou, alegando que “o motorista havia iniciado o trabalho naquela semana”, tentando justificar sua presença como suposto “instrutor”.

Desconfiada, a passageira então afirmou: “Meu filho, eu ando de Uber todos os dias e nunca vi isso”. O carona então respondeu: “É que ele é novo e por isso terá que andar com o instrutor. Todos que entrarem novos no Uber, terão que andar com um instrutor”. Com a passageira no portão de sua residência, o motorista e o “instrutor” do lado de fora, o diálogo continuou, com a cliante afirmando que não embarcaria no carro com duas pessoas. O carona então afirmou: “Se a senhora não quiser embarcar, tudo bem (é um direito do passageiro). Então a senhora pode vir aqui para ver que eu vou cancelar a chamada e a corrida”. A passageira (a essa altura ainda mais desconfiada) respondeu: “Não, eu não vou. Pode cancelar daí, que eu vou ver daqui”.

O motorista do Uber (não identificado) que fez o relato afirmou que a passageira foi muito e esperta, após ouvir esse relato, acrescentando que ela estava muito aflita por isso. “O que eu entendo que aconteceu: o cara pode ter sequestrado o motorista, obrigou o mesmo a aceitar as corridas para roubar as pessoas. Quando a passageira entrasse no carro, ele iria roubá-la e abandoná-la em outro local. Vocês, que tem parentes, amigos, namorada, etc…fiquem atentos. Chamou Uber, chegou dois dentro do carro, não entra”, concluiu.

Nas delegacias de Niterói e São Gonçalo, PMs alegaram que ainda não se depararam com esse tipo de ocorrência na região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =