Ainda há mercado para quem tem mais de 50 anos

Entrar no mercado de trabalho não é uma tarefa fácil. O alto índice de desemprego, somado ao número grande de desempregados, as vezes deixa essa métrica no vermelho. Mas quando os 50 anos ‘bate à porta’ essa tarefa pode ser ainda mais difícil. Mentira. Especialistas do setor apontam que já foi mais difícil essa inserção e empresários comentam as vantagens de abrir oportunidade para os ‘seniors’. Uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou existem 32,85 milhões de idosos e em mais de 17 milhões de famílias, o principal provedor possui mais de 60 anos.

De acordo com a RH Eliana Motta, especialista em Qualidade de Vida e Inserção Social do Público 60+, são inúmeras as vantagens em contratar um profissional na meia idade. “O profissional carrega conhecimento técnico e experiência, tem toda uma vida de relacionamentos e conexões que podem ajudar a agilizar a informação e também fazer negócios. Em um ambiente competitivo e cheio de mudanças, um dos recursos é ter pessoas preparadas que tragam soluções para sua empresa. Quando se contrata um profissional de meia idade a pessoa dá oportunidade para ter alguém que possa entender e atender este público que não se acha representado. O público idoso muita das vezes está sustentando o idoso, que são seus filhos. Pais de 80 sustentando filhos de 60. O assunto é muito extenso, mas é um problema urgente que precisa ter soluções”, frisou.

A advogada especialista em direito trabalhista, Michelle Vargas, comenta que o preconceito enfrentado pelos de mais idade, pela própria empresa estava entre um dos principais desafios. Para a especialista um novo olhar começou a ser formado passando a visto como mito a ideia de que os mais jovens custam mais barato, terão mais agilidade e intimidade com a tecnologia. “Uma mudança de perfil na contratação de grandes empresas e o mercado de trabalho tem se movimentado nesse sentido. Há alguns anos, a gente tinha um número de 70% de pessoas que eram discriminadas por conta da idade e assim não arrumavam emprego. Hoje a gente tem visto um crescimento absurdo nas contratações de pessoas com 40 anos ou mais”, contou a advogada.

Advogada Michelle Vargas explica sobre as contratações

A especialista chama atenção que, entre os receios dos recrutadores com relação a esse perfil, estavam o salário alto, supostamente a pouca flexibilidade, desatualização, e o risco de ampliar conflitos entre gerações. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL Niterói), Luiz Vieira, explicou que muitos trabalhadores não se modernizaram em termos de conhecimento. “Os jovens hoje têm uma capacidade em termos de tecnologia muito melhor, as empresas estão se modernizando, cada vez mais usando sistemas de controles. Existe hoje uma necessidade grande da mão de obra capacitada e isso faz com que os jovens acabam tendo preferência nas vagas do que os maiores de 50 anos. Esse fator não é um fator preponderante daqueles que profissionais que se atualizam que fazem reciclagem, e esses conseguem se encaixar no mercado de trabalho, além da experiência”, frisou.

Kátia Vieira, responsável por uma loja em Icaraí, contou que contratou uma gerente com experiência. “Preciso de pessoas maduras e com visão macro de gestão de pessoas, então, não penso que possa existir preconceito, quando na verdade precisamos ter experiência e visão de mundo. Acho necessário e importante dar oportunidade para pessoas de meia idade com boas qualificações profissionais e competências técnicas”, exemplificou. A gerente, Cristiane Bouchardet, de 50 anos, comemorou a oportunidade. “Fiquei muito tempo parada no mercado de trabalho por conta de filho, casa e marido, mas decidi voltar ao mercado, e justamente em uma área que gosto muito que é vendas e lidar com pessoas. Fiquei muito feliz em conseguir uma vaga em uma empresa que tem essa visão de dar oportunidades a pessoas maduras”, salientou.

A mesma sorte não teve a moradora de Jurujuba Lúcia Vieira, de 57 anos, e que não consegue voltar ao mercado de trabalho desde 2017. Ela trabalhava com carteira assinada e em abril de 2013 parou o trabalho para se dedicar aos estudos da tão sonhada faculdade. Ela começou a graduação em administração em 2013 e terminou em 2017. “Meu objetivo era ter uma graduação completa e ter um emprego com uma renda mais satisfatória. E desde a minha formatura não consigo emprego fixo. Tive desconto na faculdade de 25% por estar acima dos 40 anos e esse incentivo foi ótimo para mim”, desabafou a administradora.

Para Edmundo Lopes, professor de Administração e Ciências Contábeis, a tendência é que uma pessoa acima dos 50 anos seja mais responsável, dedicada e comprometida, pois terá a consciência de que dificilmente conseguirá uma outra oportunidade de trabalho, sendo assim, não medirá esforços para demonstrar que é necessário para a empresa. “Há uma grande possibilidade que uma pessoa maior de 50 anos tenha desenvolvido características de liderança ao longo do tempo, devido a sua experiência em trabalhos anteriores. Sendo assim, a contratação de pessoas acima dos 50 anos será benéfica para trabalhos que exijam um alto grau de responsabilidade, comprometimento e equilíbrio numa equipe de trabalho”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.