Agentes procuram assassinos de policial aposentado no Fonseca

Depois de passar um certo período de calmaria, no último fim de semana o bairro do Fonseca, na Zona Norte de Niterói, voltou a justificar o seu apelido de “Fonsequistão”. Agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) já deram início aos procedimentos para identificar e prender os assassinos do policial civil aposentado Evandro Luiz Ferreira, de 62 anos, morto a tiros, na madrugada de domingo, ao tentar furar uma “blitz de bandidos” fortemente armados, na Rua Tenente Osório, próximo a uma das entradas da comunidade da Vila Ipiranga, no Fonseca. Desde a manhã de ontem, a especializada colheu depoimentos de pessoas conhecidas e familiares da vítima. Os assassinos do policial seriam oriundos da Vila Ipiranga, onde o tráfico de drogas é controlado pela facção criminosa Comando Vermelho (CV). O corpo da vítima foi sepultado, na tarde de ontem, no Cemitério Parque da Paz, no bairro Pacheco, São Gonçalo. 1 - 9030320_770512739775603_2689837734794685599_n

Não muito longe do local onde Evandro foi assassinado, há pouco mais de dois anos, no dia 25 de fevereiro de 2015, o também policial civil Thiago Thomé de Deus foi morto a tiros durante uma tentativa de assalto, na Rua 22 de Novembro. De acordo com informes, apurados inicialmente pela delegacia do Fonseca (78ª DP) e depois repassados para a DHNSG, Evandro, conduzia seu veículo onde também estava sua mulher, quando ao passar pela Rua Alzira Vargas, teria percebido uma barreira formada por bandidos fortemente armados, nas proximidades da Vila Ipiranga. Inicialmente ele conseguiu passar, sem ser abordado, mas ao percorrer a mesma via. logo adiante havia mais criminosos armados com fuzis e pistolas, que atiraram assim que a vítima passou. O carro do policial foi atingido por pelo menos 18 disparos, sendo que oito acertaram a vítima. Evandro ainda conseguiu conduzir o veículo por alguns instantes até as proximidades de sua residência, ainda nas imediações da via. Imagens de câmeras de segurança instaladas na região devem ser requisitadas pela polícia.

A polícia foi acionada assim como uma ambulância do Corpo de Bombeiros. A 78ª DP (Fonseca) registrou inicialmente a ocorrência, mas com o falecimento de Evandro o procedimento foi repassado para a Divisão de Homicídios. Vale ressaltar que o local da ocorrência e as entradas da comunidade Vila Ipiranga fica atrás da delegacia do bairro e há poucos metros da Companhia Destacada da PM, no Fonseca. Evandro, que trabalhou na 73ª DP (Neves) antes de se aposentar, deixou dois filhos, morava nas proximidades de onde foi baleado e, segundo familiares, tinha por hábito passar pelo local. Aposentado em 2005, Evandro entrou na instituição em 1979, tendo atuado em Delegacias de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. A esposa do policial sofreu pequenos ferimentos na mão ao ser atingida por estilhaços.

Testemunhas que não quiseram se identificar disseram que nas noites de sábado e domingo traficantes da Vila Ipiranga ficariam nas ruas armados inclusive com fuzis. O Disque Denúncia afirmou que até o início da tarde de ontem ainda não havia surgido nenhum informe que pudesse ajudar a polícia sobre a identificação dos criminosos que atiraram contra o carro do policial civil aposentado. Qualquer informação pode ser comunicada (com a garantia de anonimato) para o 2253-1177.

Outra morte há dois anos

Há pouco mais de dois anos, na manhã do dia 25 de fevereiro de 2015, o policial civil Thiago Thomé de Deus e a mulher voltavam do Sambódromo para casa, após assistirem ao desfile das escolas de samba campeãs na Avenida Marquês Sapucaí, quando um grupo de assaltantes abordou o carro onde estava o casal, na Rua 22 de Novembro. De acordo com investigadores, o agente tentou reagir e sacou uma pistola, mas a arma teria falhado e os bandidos atiraram. Thiago, que era lotado na Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DH-Baixada) não resistiu aos ferimentos e morreu.

Durante as investigações, ainda em 2015, a Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG), durante a Operação São Thomé, prendeu vários acusados de envolvimento no latrocínio. O último acusado, de acordo com a especializada, foi preso em dezembro do mesmo ano. Todos os criminosos seriam ligados ao tráfico no bairro Viçoso Jardim, na Zona Norte de Niterói.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + 7 =