Advogados de Niterói lamentam a morte de Vargas Vila

Conhecido como “Consultor dos Advogados”, niteroiense faleceu aos 85 anos vítima de câncer

Após lutar contra um câncer de fígado, Vargas Vila Cruvello D’Ávila morreu aos 85 anos, na manhã da última terça-feira (12) depois de 12 dias internado no Complexo Hospitalar de Niterói (CHN). Conhecido como o “Consultor dos Advogados”, o niteroiense era a referência para muitos colegas de profissão e que residiam em Niterói.

Ex-presidente da OAB Niterói, o advogado Antônio José destacou o companheirismo de Vargas Vila. Chamando-o de “advogado talentoso”, o ex-dirigente da entidade niteroiense lamentou a perda que ela causou ao universo jurídico do Estado do Rio de Janeiro.

“A advocacia do Estado do Rio perde um grande profissional. Era uma pessoa super querida, muito amada e advogado talentoso. Brilhante mesmo. Já tive o privilégio de tê-lo como meu conselheiro hors concours, algo que foi uma honra para mim. O mundo jurídico está de luto e tenho plena certeza que já ao lado de Deus”, comentou Antônio José.

Já o advogado criminalista Odir de Araújo Filho destacou a ética com a qual Vargas atuava no trabalho. Além disso, destacou como o niteroiense era respeitado e admirado até por quem tinha discordâncias, algo que refletia o compromisso que o advogado falecido tinha com uma advocacia séria e exemplar.

“O Doutor Vargas Vila era uma das expressões da advocacia. Sempre primou pela advocacia limpa e honesta, o que o fez reconhecido e respeitado até dos que dele discordavam. Lamentavelmente é uma perda enorme e irreparável para quem amava a advocacia”, lamentou Odir de Araújo Filho.

Formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 1972, Vargas Vila teve atuação no Direito Civil, Eleitoral, Marítimo, Administrativo, Empresarial e Tributário. Além disso, foi autor da Tabela de Honorários Mínimos da OAB/RJ; da indicação que criou a Escola Superior de Advocacia da OAB/RJ. Presidiu a comissão da Ordem que elaborou o atual Estatuto da Advocacia. Propôs a criação do Protocolo Integrado da Justiça Fluminense (PROGER); da Escola de Magistratura no TJ/RJ; e da Procuradoria Geral da Defensoria Pública fluminense. Foi fundador do Clube dos Advogados de Niterói.

Vargas deixa três filhos do primeiro casamento: Gustavo, Ricardo e Eduardo. Era casado pela segunda vez com Marina Soares Silva Cruvello D’Ávilla.

O velório aconteceu ontem (13) no Salão Nobre do Cemitério Parque da Colina, em Pendotiba. O corpo advogado será cremado no local nesta sexta (15).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =