Acusado de saidinha de banco em Itaboraí é solto

Jefferson Guedes Carolino, de 28 anos, foi solto ontem (15) depois de o advogado contratado pela família pedir pela revogação da sua prisão preventiva e manifestações feitas por seus familiares. No pedido de soltura, aceito pelo juiz Daniel da Silva Fonseca, da 1ª Vara Criminal de Itaboraí, estava incluso o argumento do reconhecimento equivocado feito pela vítima. Os familiares do jovem declaram que o reconhecimento do suposto criminoso foi feito através de uma foto de mídia social.

O jovem é acusado pela polícia de ser autor de uma saidinha de banco na cidade de Itaboraí em 29 de maio de 2015 resultando em um mandado de prisão no mesmo ano, porém a sua família lutou pela sua liberdade alegrando que o jovem estava trabalhando em uma farmácia em Copacabana, zona sul do Rio. A informação foi confirmada pela rede de drogarias. Jefferson foi preso na última sexta-feira (11) enquanto trabalhava na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Pediátrica Doutor Walter Garcia Borges, em Duque de Caxias, na baixada Fluminense. O jovem foi levado na tarde do mesmo dia para o Presídio Tiago Teles de Castro Domingues, em São Gonçalo. De acordo com a Polícia Civil, o dono de um restaurante assaltado reconheceu Jefferson.

Na decisão judicial favorável ao jovem, o juiz destacou que não há nenhuma outra acusação contra Jefferson e, assim, desde a ocorrência do crime não se mantiveram as exigências para a manutenção da prisão do acusado. Jefferson responderá então pelo processo em liberdade.

Na última segunda-feira (14) foi realizada pelos familiares de Jefferson uma manifestação em frente ao Fórum de Itaboraí pedindo pela soltura do acusado. A família de Jefferson reuniu documentos para provar a inocência do jovem. Um desses documentos mostra que Jefferson trabalhou na época em uma farmácia de manipulação na função de caixa das 9h às 18h 48 no dia do crime. A informação está na folha de ponto da unidade. A prefeitura de Duque de Caxias também informou que Jefferson é contratado e trabalha na UPA pediátrica da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × quatro =