Acordo de recuperação será assinado até quarta, garante Maia

A autorização para a negociar a recuperação fiscal do estado do Rio de Janeiro será assinada pela Presidência da República até quarta-feira (06). A informação é do presidente em exercício, deputado Rodrigo Maia, durante cerimônia realizada nesta quinta-feira (31) para assinatura de acordos na área de habitação popular, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense.

Maia disse que tem trabalhado diariamente com o governador Pezão para sanar as pendências. “Tenho certeza que todos os obstáculos estão superados e que a gente vai ter condições de segunda, terça ou quarta-feira assinar esse acordo. O Rio não pode esperar mais. Acho que os problemas burocráticos existem, é importante ter lei e regras. É importante que as pessoas ligadas a solução do nosso caso entendam que a gente não pode esperar, que não tem feriado, nem final de semana, não tem noite, nem dia. A gente pede, e tem acontecido assim por parte de todos os técnicos do governo federal para que esse acordo a ser assinado na próxima semana tenha uma sinalização positiva dessa recuperação do nosso estado”.

De acordo com ele, pendências com o Tribunal de Contas da União e com a Advocacia-Geral da União foram sanadas essa semana. “Hoje a ministra da Advocacia-Geral da União (AGU), Grace Maria Fernandes Mendonça, prometeu entregar o parecer sobre dívida vencida. Com esse parecer, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, me prometeu ontem às 22h publicar a autorização para negociação do acordo. Eu acho que tenho coordenado esse trabalho de forma satisfatória”.

Reforma política
Sobre a reforma política, Maia disse que o Congresso tem até o dia 7 de outubro para aprovar as mudanças a tempo de vigorar em 2018. “Espera-se consolidar o texto nos próximos dias. “Para que a gente possa ter um sistema eleitoral, principalmente para 2022, consolidado, que é o sistema distrital misto. Esperamos que em 2018 a gente construa uma transição que seja com o modelo majoritário com menos candidatos para a próxima eleição já com uma organização mínima da política brasileira”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + oito =