Acidentes com adolescentes podem ser evitados

Raquel Morais –

Um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou que 1,2 milhão de adolescentes, entre 10 e 19 anos, morrem por ano devido causas que poderiam ser evitadas. O ranking das principais causas dessas morte mostra um dado alarmante: o primeiro lugar são os acidentes de trânsito, que contabilizam 115.302 mil óbitos anuais dessa faixa etária. Em mês do Maio Amarelo é preciso redobrar a atenção na direção: motoristas, pedestres, ciclistas e motociclistas.

Segundo texto os menores mortos nas estradas são usuários vulneráveis: pedestres, ciclistas ou motociclistas. Quase 88.590 em relação às vítimas do sexo feminino da mesma idade (26.712) morreram por ferimentos ocasionados por conta de acidentes na via pública. “Se um veículo anda a 50 km/h e toca em um pedestre, a probabilidade de morte vai ser de 20%”, afirmou Etienne Krug, diretor de Prevenção da Violência, Lesões e Incapacitações da OMS. Ainda de acordo com o informe se a velocidade de uma via for de 80 km/h, a probabilidade de óbito acaba triplicando (quase 60%). “É por isso que dedicamos a Semana das Nações Unidas sobre Segurança no Trânsito à velocidade, porque é tempo de agir e sabemos o que temos que fazer”, comenta Krug.

Já na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) está tramitando um projeto de lei 1.021/15, para obrigar os postos de combustíveis a alertarem o uso do cinto de segurança. Esse aviso seria através de placas com a seguinte frase “Preserve a vida. Use cinto de segurança”, proposto pelo deputado Benedito Alves (PRB). “Essas campanhas têm que ser constantes através dos meios de comunicação e até mesmo em lugares que transitam diariamente um grande número de pessoas”, justificou o parlamentar. O PL foi aprovado em segunda discussão e será sancionado, ou não, pelo governador Luiz Fernando Pezão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 6 =