Ação popular tenta barrar o BRS de São Gonçalo

Wellington Serrano –

Tramita na justiça Federal de Niterói uma ação popular com pedido de liminar, ajuizada nessa semana pela OAB contra a União, os municípios de Itaboraí, São Gonçalo e Niterói, o Estado e a Fetranspor. A ação pede a suspensão das obras públicas que pretendem colocar o BRS (ônibus), no local reservado à Linha 03 do Metrô, que segundo os advogados, trazem prejuízo ao transporte de passageiros, especialmente diante da retomada dos investimentos do Comperj, que elevará o fluxo de pessoas transportadas pelas cidades.

O documento ressalta que é muito preocupante a intenção da construção do BRS sobre a Linha 3 do Metrô, o que trará graves prejuízos diante da menor capacidade de transporte de passageiros.

“Com a retomada dos investimentos das obras da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) em Itaboraí ocorrerá uma elevação insuportável de passageiros que, somente através do Metrô teremos condição de atender”, afirma o texto da ação.

O documento ressalta-se que, o BRT ou BRS pode ser construído através da Alameda pelas cidades de Niterói e São Gonçalo, podendo ser outro braço de transbordo para Maricá e outras cidades, via RJ – 104, ajudando no transporte até o novo Porto de Jaconé, segundo a ação, tudo isso, sem que seja negada a construção da Linha 03 com Metrô.

A ação pede uma liminar para que seja determinado que os Réus se abstenham de alocar o BRT (ônibus) sobre o traçado da Linha 03 do Metrô, sob pena de multa diária de R$ 1 mil. Além do Ministério Público, a liminar seguiu para avaliação do Tribunal de Contas da União.

Os impactos da mudança do Metrô pelo BRT no traçado da Linha 03 (Azul) e a viabilidade da implantação do BRT na Alameda Boa Ventura, no Fonseca; também foram ajuizados pela ação popular.

Procuradas, as Prefeituras de Niterói e Itaboraí disseram que a obra é de cunho estadual.

Já a de São Gonçalo, disse que o BRS não descarta a possibilidade da Linha 3 do Metrô, que precisa de investimentos do Governo Federal e Governo do Estado.

“O projeto do BRS consiste na criação de um binário aproveitando uma pequena parcela do eixo desativado da antiga ferrovia e o sistema viário do município. O binário deverá ser composto por faixas exclusivas destinadas ao transporte coletivo. Além disso, prevê a criação de uma ciclovia ligando os bairros de Neves e Guaxindiba”, afirma o prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci.

O Ministério das Cidades disse que ainda não foi comunicado oficialmente desta Ação Popular. “Portanto, não emitimos nenhum posicionamento a respeito do assunto em questão”, afirmou na nota.

2 comentários em “Ação popular tenta barrar o BRS de São Gonçalo

  • 19 de novembro de 2018 em 10:02
    Permalink

    Na ultima Reunião sobre a o “Projeto de Implantação do ” BRS” , para o Município promessa de Campanha do atual prefeito José Luiz Nanci, sendo apresentado para alguns representantes da sociedade civil organizada , na qual estiveram presentes representantes da AMO NEVES, e da Amajac Jardim Catarina, Pois esse projeto não contempla as necessidades da população , propomos ao governo atual e a ministério pública para que seja feita uma “Audiência Pública” , para a discussão da mesma com todos os seguimentos da sociedade organizada de São Gonçalo, Tais: Ministério Publico, Câmera Municipal de São Gonçalo, Prefeitura de São Gonçalo, Executivo, Agenda 21 e OAB DE São Gonçalo , para que a população seja esclarecida a respeito do “Projeto BRS” na Linha Férrea Não , Linha 3 do Metrô Sim . Amajac – Jardim Catarina – SG.

    Resposta
  • 13 de julho de 2019 em 12:45
    Permalink

    Eu não consigo entender como todos estes contras ainda acreditam que essa linha 3 ilusória saira do papel.
    Por mim o BRS e bem mais viável e deveriam aproveitar que o prefeito em questão estava motivado, aí vem um monte de urubus querendo vetar algo pra a cidade.
    Precisamos ser mais realista e sensatos, pois já foi gasto e muito com esse projeto ilusório de linha 3. Falo com propriedade e a mesma foi deixada de lado por sediar a copa. Acha q realmente com isto ela tem importância pra o estado? Absurdo.
    Deixa o prefeito trabalhar e assim extinguir as favelas, máfias, sujeira e abandono q de encontra Boa parte da antiga linha férrea. Tudo se embarga e depois as prefeituras recebem o título de vilã q nada faz.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *