Ação da PF contra facção termina com três presos

Três pessoas foram presas, na manhã desta segunda-feira (14), durante a “Operação Trovão”, realizada em conjunto entre o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Federal (PF). Segundo as investigações, os suspeitos são acusados de envolvimento com a facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA). Além disso, houve sequestro de imóveis e apreensão de itens de valor.

Segundo o MPRJ, a ação aconteceu nas cidades do Rio de Janeiro e de Campos dos Goytacazes, Norte do Estado. O órgão apontou que o grupo alvo montou esquema de ocultação de bens e lavagem de capitais, oriundos do tráfico de drogas em Campos, através de sociedades empresariais em nomes de terceiros, mas que, efetivamente, pertencem a dois denunciados.

Um homem, conhecido como “Tupã” apontado como um dos líderes do esquema possui extensa ficha criminal, com anotações por tráfico de drogas e homicídio, além de ser notoriamente conhecido como uma das lideranças da facção criminosa ADA em Campos, com atuação na comunidade conhecida como Baleeira. Outras seis pessoas, inclusive a companheira de “Tupã” são investigadas.

“Deflagramos hoje a Operação Trovão. Entre os principais objetivos estava a prisão de lideranças do tráfico de drogas na comunidade da Baleeira, bem como a descapitalização de toda a organização criminosa. Foi dado o cumprimento de três mandados de prisão preventiva e sete de busca e apreensão. Conseguimos apreender os três alvos principais, bem como o bloqueio de bens de toda a organização”, disse o delegado Wesley Amato, responsável pela operação.

A investigação foi iniciada a partir da apreensão de R$ 66.113,00 em poder de outro suspeito, conhecido como “Neto”, quando tentava depositar os valores em agência bancária na região da Pelinca, em Campos. Na oportunidade, além da quantia, foi apreendido em poder de “Neto” um telefone celular, do qual, com autorização judicial, foram extraídos dados de relevância, revelando seu envolvimento com o tráfico de drogas.

Com o avançar das investigações, o MPRJ afirma que foi possível descortinar a existência da associação criminosa voltada ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, com o envolvimento de todos os denunciados. A lavagem de dinheiro incluiu a aquisição de diversos imóveis e abertura de estabelecimentos comerciais, todos de propriedade de “Tupã” e sua companheira.

A PF confirmou que, além dos sete presos, a ação teve sete mandados de busca e apreensão cumpridos. Foram apreendidos um automóvel, cerca de R$ 5 mil, joias, celulares, mídias, cartões de crédito e diversos documentos. Também foi feito o sequestro de quatro imóveis (três apartamentos e uma fazenda) e bloqueio de cotas sociais de empresas supostamente utilizadas para lavagem de capitais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.