Ação contra ocupações da milícia

Policiais civis da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), representando a Força-Tarefa criada pela Polícia Civil para combater milicianos que atuam no Rio de Janeiro, realizaram na terça-feira (24) uma operação na Gardênia Azul, Zona Oeste da capital fluminense. Esta foi mais uma ação contra o braço financeiro de uma organização criminosa e tem o objetivo de apurar a prática de crimes ambientais, parcelamento irregular ou clandestino de solo urbano e lavagem de dinheiro.

Os agentes buscaram cumprir mandados de busca e apreensão em 22 endereços residenciais e comerciais, onde a Força-Tarefa pretende apreender armas, telefones, computadores, bens e valores, além de identificar colaboradores com a milícia.

Segundo as investigações da DPMA, a milícia que domina a região utiliza “laranjas” como responsáveis pelas construções. Com os edifícios concluídos, as unidades são vendidas por R$ 150 mil, garantindo lucro estimado de R$ 3,6 milhões ao grupo.

Pelo apurado, a área total ocupada é de 10 mil m², sendo 7 mil m² em área desmatada. As construções são erguidas sem nenhum comprometimento com projetos de engenharia, arquitetura ou urbanístico, ou mesmo preocupação de estabilizar o terreno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + um =