Acadêmicos do Sossego produz carnaval 2018 em dois barracões

A Acadêmicos do Sossego, a escola do Largo da Batalha, vai disputar o tão sonhado Grupo Especial do carnaval do Rio de Janeiro, no dia 9 de fevereiro. A agremiação será a quarta escola a desfilar na avenida com o enredo “Ritualis”, definido como o símbolo dos poetas, da harmonia cósmica e da inspiração musical, fonte das primorosas melodia.

O samba enredo foi desenvolvido por Felipe Filósofo, Ademir Ribeiro, Sérgio Joca, Orlando Ambrósio, Macaco Branco, Mário da Vila Progresso, Pacote, Xandinho Nocera, Fabio Borges, Ivan Câmara e Bertolo. E os cerca de 1.800 componentes, divididos em 19 alas, vão cruzar a Marquês de Sapucaí ao som do intérprete Nêgo.

O diretor de carnaval, Almir Jhunior, explicou que esse ano a escola está com dois barracões: um na Cidade do Samba, na Gomboa, e outro na Zona Portuária. “A falta de liberação de verba complica o trabalho, mas mesmo assim estamos com os carros em estado de decoração. As fantasias estão sendo retiradas do atelier e estamos montando um carnaval lindo”, comentou.

Sobre os detalhes da produção dos carros alegóricos o carnavalesco Petterson Alves disse que o abre alas está todo construído e uma parte das fantasias estão em finalização. O carro principal, que abre o desfile, virá na avenida com cerca de 22 pessoas e foi batizado como “O Santuário da Vida”. “Ele retrata os primórdios e é um altar dos rituais pagãos praticados pela antiguidade que adoravam a deusa mãe, no período Antes de Cristo. Retratamos os quatro elementos nesse primeiro carro”, explicou o carnavalesco. Os elementos terra, água, ar e fogo vão ser exibidos durante o desfile, e predominará os tons de terra.

O segundo carro, “Rituais Bruxólicos” passará a mensagem da Idade Média através de um inquisidor que condenava as pessoas para a fogueira. Petterson explicou que a alegoria está com as ferragens 100% prontas além da parte de pintura e encaixe. “Estão sendo usados muita fibra, isopor, espuma e variações nas cores obscuras como o cinza, preto e roxo”, lembrou. E o terceiro e último carro, “Brasil com mais Tolerância”, mostrar os rituais do candomblé. “É o ritual mais crucificado e perseguido. Para essa demonstração exagerei na palha e búzios, tudo em degradê de azul”, finalizou.

Acadêmicos do Sossego 2018

Os acordes da lira
No santuário da vida
Do sono profundo à imortalidade
Ó natureza, a cada colheita, fertilidade
Aliança aos filhos de Abraão
Alvorada, oriente em oração
Ó cordeiro de Deus
Reino do céu, Reis dos Judeus
Labaredas de fogo, Lua cheia, heresia
Entre a cruz e a espada, Sabá, bruxaria
Sangue, sacrifício, crânios no altar
Culto ao sol, banho de rosas, maracá
Espíritos da floresta, feiticeiros
Corpo e alma em equilíbrio, curandeiros
Negra magia, ogans, mambus
Atabaques, raízes vodus
A saia na gira, cintilante azul
Velas brancas para o Cruzeiro do Sul
Brasil, mas tolerância
Súplica de esperança
Mensagem de Olorum
Lágrimas de Oxalá nesse chão
Proteção do povo de Aruanda
Lavagem pra festa profana
Moringa, água de cheiro, arruda e guiné
Mães de santo na avenida, Axé

Salve, São Sebastião! Oxóssi caçador!
Sossego, ritual de amor!
Sossego, ritual de amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − cinco =