Academias driblam a crise e crescem em Niterói

Raquel Morais –

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL-Niterói) divulgou uma pesquisa que revela os setores que estão em crescimento em Niterói. O segmento de salões de beleza registrou 2,3% de aumento em relação ao ano passado, seguido das academias de ginástica, com alta de 1,5%. Esse último dado chama atenção para a importância da saúde e do bem-estar do niteroiense, que está se cuidando mais ao longo dos anos, de acordo com especialistas.

O presidente da CDL-Niterói. Luis Vieira, explicou que o segmento de academia mantém um ritmo significativo de crescimento.

“É pequeno, mas pelo menos está sendo positivo e é uma grande premissa em relação ao que está acontecendo no restante dos outros setores. Esperamos mais e precisávamos de um crescimento de 5% até 8%, mas após a Copa do Mundo esperamos melhorar esse cenário”, frisou.

O professor de educação física Leonardo Lemos, de 40 anos, percebeu esse bom momento e conseguiu, há três meses, abrir sua própria academia, ou centro de treinamento, como ele prefere chamar.

“O meu empreendimento é específico para ciclismo e busquei a oportunidade da demanda que percebi que estava aumentando. As pessoas estão procurando academias mais filtradas para os próprios objetivos. Isso proporciona um treinamento mais direcionado e é uma tendência do mercado”, pontuou o triatleta amador e agora empresário.

O coordenador técnico de outra academia, Leonardo Pacheco, de 32 anos, explicou que o mercado fitness vem ganhando mais adeptos na última década, principalmente após o aumento de doenças cardiovasculares e metabólicas.

“Podemos perceber que o público que busca a academia hoje em dia mudou: não estão à procura somente de resultado estético e sim de saúde e qualidade de vida. Hoje temos na academia muitos clientes acima de 60 anos e muitos frequentadores estão em busca de reabilitação de alguma patologia clínica ou apenas uma distração para aliviar o estresse do dia a dia. O exercício físico libera no organismo o hormônio endorfina, que é um analgésico natural que ajuda a aliviar a dor e ainda regula nossas emoções”, esclareceu o também membro do Conselho Regional de Educação Física.

O médico Adalberto Caveari explicou as consequências da falta de atividade física no organismo.

“O sedentarismo traz inúmeros problemas para a saúde e é importante manter a forma física independente da idade. As crianças, de uma forma natural, já se movimentam e o problema é a fase adulta”, resumiu o médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 2 =