Abrigo Cristo Redentor fica fora de repasse do Governo do Estado

Raquel Morais –

O Governo do Estado anunciou o investimento de R$ 11 milhões para instituições que cuidam de idosos e pessoas com deficiência, mas a verba não contempla o Abrigo Cristo Redentor, em São Gonçalo. A casa, que cuida de 125 idosos está desde 2017 sem receber a verba do Estado, conta com ajuda de empresários locais para manter os 36 idosos que são de responsabilidade do poder público. O gerente da instituição confirmou ontem que a dívida ultrapassa R$ 1,5 milhão e lamentou que a unidade de São Gonçalo ficou de fora do benefício.

O investimento de R$ 11 milhões será destinado para o Abrigo Cristo Redentor, em Bonsucesso, Zona Norte do Rio, além do Rego Barros, em Conceição de Macabu; Protógenes Guimarães, em Araruama; e Oswaldo Aranha, em Barra do Piraí; Lar Bettel, em Duque de Caxias; e do Lar Mangueira, na Mangueira. A notícia foi anunciada pelo próprio governador Wilson Witzel em um evento de comemoração ao Dia Internacional do Idoso, no Centro de Promoção Social.

“É um momento muito especial porque estamos resgatando nossos abrigos. Além do investimento de R$ 11 milhões, que conta com parte de recursos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), seis novas vans serão destinadas a estas instituições para auxílio do transporte dos acolhidos”, contou.

Mas o gerente do Abrigo Cristo Redentor de São Gonçalo, Carlos André Avila, não achou o momento tão especial assim. Desde 2017 a instituição não recebe verba do Governo do Estado mas a instituição continua atendendo os idosos de responsabilidade do Estado por um contrato tácito.

“Comunicamos para a fundação que eles tinham uma dívida, o contrato venceu, eles não pagaram e nem retiraram os idosos do Abrigo. Não teve a descontinuidade do serviço prestado e continuamos cuidando dos idosos. Na última reunião que tivemos o presidente da fundação disse estar disposto a ajudar a instituição mas ainda não temos nenhuma novidade sobre isso”, desabafou sobre a Fundação Leão XIII.

A instituição cuida de 125 idosos sendo que 36 idosos são de responsabilidade da Fundação, outros 65 são custeados pela Prefeitura de São Gonçalo e 24 são particulares. Segundo dados do abrigo, falta receber do Estado os pagamentos de todo ano de 2017 (R$ 644.442,98), todo o ano de 2018 (R$ 546.463,13) e de janeiro até setembro de 2019, totalizando mais de R$ 1,5 milhão de dívida. A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social, que responde pela Fundação Leão XIII, foi questionada sobre o assunto mas até o fechamento dessa edição não se manifestou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *