Abel exalta esforço dos jogadores do Fluminense em campo encharcado

O Fluminense teve de enfrentar a Portuguesa pela terceira rodada do Carioca, neste domingo, em um campo totalmente encharcado pelo temporal que caiu durante a tarde na Baixada Fluminense. Antes da partida, o técnico Abel Braga e os dirigentes do Tricolor chegaram a pensar em pedir o adiamento do confronto, mas o jogadores insistiram e conseguiram superar as condições e construiram a vitória por 3 a 0.

Depois do apito final, o treinador exaltou seus jogadores pela coragem e dedicação, e admitiu que foi contra a realização da partida.

“Eu hoje tenho que colocar uma coroa de flores na cabeça de cada um. Tomaram uma decisão muito forte em relação ao jogo. Eu fui contra a partida, meu vice-presidente foi contra, meu médico, o Torres… Eu comentei que o jogo ficaria igual na parte técnica. E eles quiseram jogar. Eles jogaram e ganharam. Minha contribuição foi zero. Sensacional a atitude deles. Conseguiram jogar bem nesse campo, que só dava para usar um lado”, disse Abel, que descartou de fazer comentários sobre o jogo. “Não posso falar da parte técnica. Erramos passes, inversões. Mas a bola não corre, desgaste físico brutal”

O próximo compromisso do Fluminense será nesta quarta-feira, diante do Internacional, pela segunda rodada do grupo A da Primeira Liga. Com o início desgastante da temporada, o treinador já sabe que não poderá contar com sua força máxima no Beira-Rio.

“O Dourado está praticamente fora para quarta-feira, Ainda vou tirar quatro ou cinco da equipe. Não tem condição. Alguns jogadores precisam fazer um trabalho físico. Cinco titulares se reapresentaram no dia 9 e começaram a treinar no dia 11. Hoje foi o sexto jogo em 20 dias. E sem conseguir fazer nenhum treino físico nesse período. Daqui a pouco alguém vai estourar. Vamos pensar bastante para quarta-feira”, disse o treinador, que admite usar a partida para observar alguns jogadores.

“Dentro do que penso como equipe, posso usar o jogo de quarta também para observar jogadores que vi pouco. Tenho que ver mais do Marquinho, do Marcos Júnior, do Luiz Fernando. Gostei muito da entrada do Renato no clássico. Amanhã, por necessidade, vamos pegar sete meninos da base. Também é um jeito de ver a garotada”, projetou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 17 =