A cada 48 horas três carros roubados na Zona Norte

Augusto Aguiar

A cada 48 horas três veículos são roubados na Zona Norte de Niterói, de acordo com dados comparativos, divulgados de janeiro a setembro desse ano pelo Instituto de Segurança Pública (ISP). Nesse período, as cinco DPs que servem a cidade – 76ª DP (Centro), 77ª DP (Icaraí), 78ª DP (Fonseca), 79ª DP (Jurujuba), e 81ª DP (Itaipu) – registraram 1.168 ocorrências desta modalidade criminosa, com cerca de 33% dessa mancha criminal na Zona Norte, que em todos os meses liderou as estatísticas.

Em janeiro, a Zona Norte dividiu a maior incidência de crimes de roubos de veículos com a Zona Sul de Niterói, com 38 ocorrências registradas na 78ª DP (Fonseca) e 77ª DP (Icaraí). Numa crescente, no mês seguinte bairros como Fonseca, Barreto, Engenhoca, Caramujo, Cubango e Tenente Jardim registraram 41 ocorrências, enquanto a Zona Sul apresentou leve redução (32). Em março, em nova crescente, a Zona Norte registrou 53 ocorrências, seguida dessa vez pela Região Oceânica, com 26 registros. O segundo trimestre começou com 38 ocorrências registradas na Zona Norte, seguida de outras 25 no Centro. O mês de maio se encerrou com 53 casos registrados na 78ª DP, seguida de 20 na região da 76ª DP. Em junho foram 29 registros de roubos de veículos na Zona Norte e 19 na Região de Pendotiba (79ª DP/Jurujuba). O mês de julho, abrindo o terceiro trimestre, serviu como constatação de que a Zona Norte manteve a alta na mesma modalidade de crime (45 ocorrências), com o Centro registrando outras 20 queixas. Agosto foram mais 40 ocorrências registrada na 78ª DP (Zona Norte) e mais 27 na Zona Sul (77ª DP), fechando o período divulgado pelo ISP, setembro, com 50 registrados na ZN, seguida de outros 22 na Zona Sul. Os demais registros foram formalizados ao longo das demais delegacias da cidade, perfazendo uma média de 129 ocorrências de veículos roubados por mês.

Ações integradas das polícias Civil, Militar e da Guarda Municipal estão sendo implementadas com objetivo de coibir essa e outras modalidades de crimes que incidem nas regiões da cidade. As câmeras de monitoramento também estão sendo utilizadas quase que na totalidade, com exceção das instaladas na Ponte Rio-Niterói, onde 12 delas (do Cisp) ainda não estão conectadas ao cadastro da Polícia Civil. Portanto essas informações em tempo real ainda não estão sendo remetidas ao Cisp, que poderia identificar em tempo real veículos roubados que entram ou saem da cidade. Na próxima reunião, o presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Niterói, Leandro Santiago vai convidar representantes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). No encontro serão apresentadas sugestões de integração entre a PRF e PM no perímetro da Praça do Pedágio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *