Integrantes de quadrilha  são presos ao aplicarem golpe no Barreto

Dois integrantes de uma quadrilha que aplicava golpes por todo país foram presos ontem (9) por policiais da 78ª DP (Fonseca). Graças a ação rápida dos agentes, uma senhora no bairro do Barreto, em Niterói, teve o seu cartão do banco recuperado a tempo. A ação dos policiais civis foi possível graças a uma denúncia feita pela vítima. A dupla responde por furto qualificado e associação criminosa.

O golpe do falso motoboy era aplicado através de uma ligação em que a vítima era informada sobre haver uma compra não autorizada em seu cartão. Eram pedidos os dados da vítima incluindo a senha do cartão. Em seguida os criminosos explicavam que um motoboy do banco passaria na casa da vítima para pegar o objeto.

Mário Cunha Baptista dos Santos Júnior se passando por um mototaxista havia dito a mulher que seu cartão tinha sido usado para compras sem o seu conhecimento. A vítima apesar de chegar a entregar o seu cartão para o criminoso, desconfiou da atitude e avisou a polícia. Quando os policiais da delegacia chegaram no condomínio informado encontraram Mário já com o cartão  cortado o cartão e indo embora. As investigações prosseguem para a identificação e prisão de outros envolvidos.

Após levantamento de informações  outro integrante da quadrilha foi descoberto: Robson Luiz de Miranda Júnior. O comparsa receberia o cartão e informado da senha, faria compras. Robson foi encontrado no bairro da Lapa, no Rio. Ele confessou fazer parte do grupo criminoso e indicou aos agentes o hotel onde estava hospedado. No local foram encontradas 32 máquinas de cartão de crédito ou débito onde os saldos dos cartões das vítimas eram usados.

De acordo com a Polícia Civil, informações apontam para a maioria dos integrantes da quadrilha atuarem na capital mineira Belo Horizonte. O grupo chega a definir dias de “trabalho” e descanso,  quando não aplicam os golpes. Robson informou aos agentes ficar 15 à serviço da quadrilha e em seguida quatro dias sem cometer os crimes.

“Eles colocam música de fundo, é algo muito bem orquestrado. A vítima desconfiou porque eles ficaram muito tempo na tinha e o motoboy chegou logo no endereço. Ela não era idosa. Eles têm feito vítimas de outras faixas de idade. Atuam em vários estados. Banco não liga para a residência, não se dá senha nunca por telefone, jamais! É golpe! As investigações continuam,. Temos até mesmo gerente de banco sendo investigado”, alertou Luiz Jorge Rodrigues da Silva, delegado titular da 78ª DP (Fonseca).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × quatro =