Que ninguém se meta com a Sossego

Com três dos quatro carros alegóricos praticamente prontos, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Sossego será a sétima e última escola a desfilar na sexta-feira de Carnaval, 1º de março, pela Série A. A queridinha do Largo da Batalha vai cruzar a Marquês de Sapucaí com 1,8 mil componentes, divididos em 26 alas, defendendo o enredo “Não se meta com a minha fé, acredito em quem quiser”, desenvolvido pelo carnavalesco Leandro Valente.

E como Carnaval não se faz sozinho, o presidente da agremiação, Wallace Palhares, chamou atenção da importância da comunidade nessa corrida em busca do título. “O carnaval da Sossego está muito adiantado e a comunidade está dando muita força e dando a volta por cima. Os ensaios estão ficando lotados, a comunidade está cantando e participando muito. Estamos defendendo a liberdade religiosa e cada um tem sua verdade e só respeitando viver em uma sociedade mais justa”, frisou.

No barracão da azul e branco de Niterói, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, os quatro carros alegóricos estão passando pelos últimos detalhes e três deles já estão praticamente prontos. O destaque fica para o abre alas “Navio terra: estamos todos no mesmo barco” com 25 metros de comprimento, nove de altura e 25 pessoas. A sua montagem contou com 28 mil copinhos de café de plástico e a ideia é mostrar o planeta carregando a esperança do povo.

O segundo carro, “Nós que aqui estamos por vós esperamos Jesus Malverde e Santa Morte”, atravessará a passarela do samba com muita cor e riqueza de detalhes. A inspiração foi o México com um destaque para a Santa Morte e como os mexicanos encaram a morte. “O enredo fala da fé e cada pessoa tem e enxerga a sua fé de uma forma. Enquanto o brasileiro tem horror e não aceita a morte no México é um dia de festa. Então temos que aprender a respeitar todas as religiões e crenças principalmente”, contou Rafael Marques, diretor do barracão.

O carro teve trabalho mais artesanal com feltros cortados unitariamente além de 17 quadros pintados exclusivamente para o desfile.
“Pintei esses quadros inspirado nas pesquisas sobre a cultura do México. O Carnaval é muito rico em história e cada detalhe da escola conta alguma coisa”, frisou o artista plástico amazonense Bruno Santos.

O terceiro destaque, “Mesquita Universal do Budalorixá”, e o quarto, “Não destrua meu terreiro”, vão retratar muitas religiões e suas misturas, como por exemplo um Buda com a imagem de Yemanjá nas mãos. Além de terreiros que vão remeter a África feito e sua maioria em palha, com tecidos africanos, búzios e cores mais pastéis, como marrom e beje por exemplo.
“Nossa ideia é usar a emoção e a fé e queremos que as pessoas se vejam na escola. Queremos propor uma reflexão”, finalizou Rafael.

FICHA TÉCNICA
Presidente: Wallace Palhares
Vice Presidente: Almir Jhunior
Carnavalesco: Leandro Valente
Intérpretes: Guto e Juliana Pagung
Compositores: Felipe Filósofo, Orlando Ambrósio, Bertolo, Gilmar Silva, Joca, Fábio Borges, Serginho Rocco, W. Motta, Ademir Ribeiro, Diego Tavares, Mario da Vila Progresso, Michel do Alto e Lucas Donat.
Direção de Carnaval: Hugo Júnior e Wallace Oliveira
Direção de Harmonia: Saulo Tinoco
Intérpretes: Guto e Juliana Pagung
Primeiro Casal MSala e PBandeira: Marcinho Souza e Bruna Santos
Segundo Casal MSala e PBandeira: Iago Silva e Pâmela Cristho
Terceiro Casal MSala e PBandeira: Wladimir Bulhões e Morango
Diretor Geral Comissão de Frente: Vinicius Rodrigues
Mestre de Bateria: Laion
Rainha de Bateria: Dany Storino
Diretor Geral de Passistas: Mauricio Lima
Rainha de Passistas: Flávia Aguiar
Diretor de Musas(os): Yan Sollis
Musas(os): Neide, Angélica, Josiane, Michell, Taylane, Luana e Corine
Presidente da Velha Guarda: Terezinha
Presidente Ala das Baianas: Tia Sandra
Presidente Ala dos Compositores: Sérgio Joca
Diretor de Barracão: Rafael Marques

HISTÓRIA DA ESCOLA
O Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Sossego foi fundado em 10 de novembro de 1969 por Odir Costa e César de Melo Loureiro. Originalmente, suas cores eram verde e vermelho. Desfilou no Carnaval de 1970 como bloco com um enredo sobre Ary Barroso, assumindo o vermelho e o amarelo. No carnaval de 1978, assumiu definitivamente o azul e o branco e sagrou-se campeã entre os blocos de Niterói. Em 1998, com o carnavalesco Max Lopes e o estreante Cahê Rodrigues, obteve o terceiro lugar no grupo C e o direito de acesso ao grupo B, já na Marquês de Sapucaí.
Em 2016, com uma homenagem ao centenário do poeta Manoel de Barros, a escola se sagra campeã da Série B, e retorna à Sapucaí após 4 anos desfilando na Intendente Magalhães, sendo sua estreia na Série A. Visando o carnaval de 2018, a Sossego promoveu mudanças em alguns departamentos, contratando o carnavalesco Petterson Alves, que desenvolveu o enredo “Ritualis”. A escola optou por encomendar seu samba-enredo para a parceria encabeçada por Felipe Filósofo, vencedora na escola nos últimos dois carnavais.

LETRA SAMBA ENREDO 2019
O céu aberto ao som da Lira
Orações, linda alvorada
Meu nome Jesus, por que não santo também?
Bom Deus, por que o ódio no planeta azul?
Se crentes ou ateus no sangue a mesma cor
Na mesquita, no templo, no terreiro
O mesmo sentimento de aliança
A morte em teu nome uma contradição (Bis)
Anjo, no tribunal da fé
Só ganância e poder
Eis aí o livre arbítrio
De pessoas sem ternura
Na escolha entre o bem e o mal
Santo Deus…
A justiça da terra ou do céu?
No cálice da fé a intolerância
O vinho tinto amargo de sangue
Qual caminho, meu pai?
Filho milagreiro, solidário ao irmão
Santo popular, Jesus Malverde
Teu nome hoje em romaria
A esperança de um mundo melhor
Oh… Meu Deus, piedade de nós
Oh… Meu Deus, piedade de nós
Com seu amor azul-Sossego
A paz entre as religiões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *