Academia Niteroiense de Letras tem novo imortal

Pedro Conforte –

“São três emoções diferentes e muito intensas, lançar o livro, tomar posse Academia Niteroiense de Letras e receber a medalha escritor José Cândido de Carvalho, da Câmara Municipal de Niterói”, comentou ontem escritor e produtor cultural Jordão Pablo de Pão no Solar do Jambeiro. Ele ocupa agora a cadeira que já foi do escritor e estudioso do teatro Antônio Santacruz Lima, pelo compositor e escritor Jacy Pacheco e pelo historiador e jornalista Emmanuel de Bragança Macedo Soares.

Antes de lançar o livro “O Mar do Meu Velho”, antologia de poemas e de contos curtos, inspirada nas leituras do autor sobre o mar e os registros orais de memórias sobre a vida de seu pai, pescador por mais de cinquenta anos Jordão foi aplaudido e tomou posse na Academia Niteroiense de Letras. “Era um sonho desde criança tomar posse na academia de Niterói, não queria outra cadeira que não fosse nesta academia”, contou o escritor emocionado.

Nascido em 1987 Jordão Pablo de Pão é o escritor mais jovem a assumir uma cadeira na Academia Niteroiense de Letras e para a presidente Marcia Pessanha isso não é um problema. “Ele teve um discurso poético e acadêmico, trazendo uma bagagem cultural e sabendo cada parte da história da Academia. É muito bom recebê-lo”, comentou.

Mas a noite ainda foi de mais emoção, pois a Câmara entregou a medalha escritor José Cândido de Carvalho. Entregue pela mão do vereador Leonardo Giordano a medalha é escolhida a escritores da cidade. “É muita emoção, pois sou nascido em São Gonçalo, há 10 anos trabalho em Niterói. Com a cadeira [Academia Niteroiense de Letras] eu sou reconhecido pelos meus [escritores] e a medalha eu sou reconhecido por Niterói e isso é muito gratificante e uma honra”, esclareceu Jordão Pablo de Pão.

Reconhecido pela democratização do acesso a eventos culturais, sobretudo ligados à literatura, Jordão Pablo de Pão há dez anos participa do cenário artístico niteroiense, inicialmente no Teatro Municipal João Caetano e, nos últimos anos, no Solar do Jambeiro. Participa de diversos grupos de leitura e de publicações literárias em Niterói, além de assinar a curadoria de projetos e de exposições que apresentam a história da cultura da Cidade Sorriso aos seus cidadãos. Em 2017, o escritor lançou seu primeiro trabalho individual, “Abre Caminhos”, também pelo Armazém de Quinquilharias e Utopias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 3 =