146 animais de estimação foram microchipados em 2016

Olhos sempre brilhando, fucinho molhado e gelado. Ahh, não se pode esquecer do rabinho abanando. Em Niterói há mais de 50 animais disponíveis para adoção. Sem contar animais abandonados, vagando pelas ruas da cidade. Para evitar o abandono de animais de estimação, foi preciso tomar uma medida drástica em Niterói. Foi implantado o sistema de microchipagem.

Somente em 2016, um total de 146 animais de estimação, entre gatos e cachorros receberam microchips de localização. Os bichos foram michochipados antes de serem doados nas tradicionais feiras de adoção do Campo de São Bento. O projeto começou no início do ano passado visando ajudar na localização de animais que receberam novos lares.

Todo o procedimento é realizado por médicas veterinárias com total segurança e higiene. Essa atitude tem como objetivo combater o abandono de animais após a adoção, trazendo mais segurança e levando a uma adoção responsável. Vale ressaltar que o procedimento é gratuito.

A microchipagem consiste na implantação de um microchip no corpo do animal o qual possui uma numeração única, vinculado a esta numeração é possível ter todos os dados do animal e do seu novo tutor lançados em um sistema informatizado. Caso esse animal seja encontrado na rua pode-se levantar todos estes dados e penalizar essa pessoa pelo abandono.

“Outra grande maneira de minimizar a questão do abandono, será o Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos, onde serão realizadas inúmeras cirurgias de castração de animais, assim viabilizando um controle populacional com o objetivo de redução nos casos de animais abandonados pelas ruas”, disse Marcelo Pereira, diretor da Secretaria Municipal de Ambiente.

Abandono de animais é crime – O que muita gente não sabe é que abandonar animais é crime. O abandono de animais é uma situação que vem aumentando em todo o país, além de ser uma grande ameaça a vida do animal consiste em crime no Brasil previsto no artigo 32 da Lei Federal nº 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais).

Dificuldades – Protetores de aninmais em Niterói enfrentam uma dificuldade em comum: os custos. Muitos protetores que trabalham voluntariamente na doação de bichinhos de estimação reclamam da dificuldade de precisar custear as vacinas, castrações e vermífugos.

“Os vermífugos são baratos, a castração que é um processo caro e não temos ajuda”, disse a protetora Janaína Voigt.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *