Zélia Duncan apresenta show no Municipal de Niterói

O Teatro Municipal de Niterói vai receber, na sexta-feira, 11, às 20h, o espetáculo O Lado Bom da Solidão, da cantora e compositora Zélia Duncan. Sozinha no palco com o violão, quase na sua intimidade, Zélia apresenta seus maiores sucessos, como “Catedral”, “Lá Vou eu”, “Alma”, além de canções de seu repertório afetivo e de sua trajetória, entre agradáveis surpresas.

Com coordenação geral de Patrícia Albuquerque e produção local de Patrícia Ferraz, “O Lado Bom da Solidão é a possibilidade, sempre, de estar acompanhada de um público que goste de imaginar que estava presente quando as canções foram feitas! Um show que tem como conceito a proximidade entre artista e platéia”, comenta Zélia.

A niteroiense Zélia Duncan, começou a cantar profissionalmente no início dos anos 80, quando ainda adotava o nome artístico Zélia Cristina. Em 1990, lançou pela Eldorado, o LP “Outra Luz”, mas, insatisfeita, passou um semestre nos Emirados Árabes, cantando em um hotel. Voltou em 1992 e gravou uma faixa no songbook de Dorival Caymmi produzido pela editora Lumiar. Mudou o nome para Duncan (nome de solteira da mãe) e passou a ser incluída numa nova safra de cantoras que surgiu na década de 90, ao lado de Adriana Calcanhoto, Cássia Eller e Marisa Monte. Em 1994, saiu o álbum “Zélia Duncan”, incluindo o hit “Catedral” (versão do sucesso da cantora alemã Tanita Tikaram), que jogou os holofotes sobre a violonista, compositora e cantora de voz grave.

Em 1997 gravou “Intimidade”, que a levou para uma temporada no Japão e Europa. Em 2004, Zélia lança “Eu Me Transformo Em Outras”. Baseado no show homônimo, o disco traz interpretações da cantora que deixam de lado a marca pop que a consagrou para experimentar os caminhos do samba. O álbum seguinte foi “Pré Pós Tudo Bossa Band”, lançado em 2005 pela Duncan Discos. Em 2006, a cantora se uniu aos irmãos Serginho e Arnaldo Baptista e o baterista Dinho e saiu em turnê internacional na badalada volta dos Mutantes, substituindo os vocais que um dia foram de Rita Lee. O sucesso das apresentações na Europa foi tão grande, que Zélia foi convidada a integrar oficialmente a banda. Em 2009, recebeu uma indicação ao Grammy Latino 2009, pelo trabalho “Pelo sabor do gesto”.

Em 2013, venceu em duas categorias do Prêmio da Música Brasileira com o álbum “Zélia Duncan canta Itamar Assumpção Tudo Esclarecido”, que também ganhou edição em vinil. Com “Totatiando” (2016), a cantora foi consagrada na 27ª edição do Prêmio da Música Brasileira com três prêmios, o de Melhor Canção (“Antes do Mundo Acabar”) e os de Melhor Álbum e Melhor Cantora na categoria de Samba.

A classificação etária é livre e o show tem duração de 75 minutos. Os ingressos custam R$ 80 (inteira). O Teatro Municipal de Niterói fica na Rua XV de Novembro, 35 no Centro. Mais informações pelo telefone (21) 2620-1624.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *