Vereador de São Gonçalo acusa prefeito de desviar verba dos cemitérios

Anderson Carvalho e Wellington Serrano –

A Câmara de Vereadores de São Gonçalo realizou na manhã de ontem uma audiência pública no plenário para debater e denunciar a atual situação dos cemitérios públicos do município. O autor do requerimento, vereador Sandro Almeida (PHS), mostrou um cenário de propina envolvendo dinheiro público pago pelas funerárias para os responsáveis pela administração dos cemitérios públicos da cidade, denunciado por uma ex-funcionária da Prefeitura.

Na ocasião, houve uma tentativa de abertura de uma CPI dos cemitérios com 11 assinaturas, mas não passou, porque três vereadores, Cacau (PRTB), Nathan (PSB) e o professor Gallo (PCdoB) retiraram o nome em cima da hora. Sandro Almeida então, sem as nove assinaturas necessárias para abertura da CPI, desistiu de instaurar o inquérito e vai apresentar uma nova denúncia ao Ministério Público.

“Através de investigações constatamos que há indícios de participação da primeira-dama Eliane Nanci, que é acusada de desviar dinheiro dos cemitérios, por orientação do prefeito Nanci”, disse o vereador.

Na ocasião, o vereador apresentou, em vídeo, o abandono dos cemitérios públicos da cidade e o descaso que a população de São Gonçalo sofre nas tentativas de agilizar o sepultamento de seus familiares. “A covardia e a humilhação que a população de São Gonçalo sofre para sepultar os seus familiares, que atualmente dura entre três e cinco dias, precisa ser mostrada para todos”, concluiu o vereador.

Procurada, a Prefeitura esclareceu atuar com total transparência e foca no restauro e ampliação dos cemitérios da cidade. O governo ressaltou ter depositado mais de R$ 1 milhão na conta da Prefeitura, nos últimos 12 meses (entre maio de 2017 e maio de 2018), fruto da arrecadação no setor.

“Para se ter uma ideia, durante os quatro anos do último governo (2012-2016), toda a arrecadação registrada pela gestão passada ficou em torno de R$ 1 milhão. Então fica a pergunta: como o atual governo conseguiu arrecadar, em apenas 12 meses, mais do que o governo passado em 48 meses?”, indagou em nota o Executivo.

A Prefeitura acrescentou que a secretária de Administração, acompanhada pela subsecretária da pasta e pelo subsecretário de governo, esteve no MP, no dia 16 de maio de 2017, no gabinete da Promotoria de São Gonçalo para tratar sobre as questões referentes aos cemitérios. Na ocasião, segundo o órgão, foi tomado o conhecimento do teor do relatório emitido pelos técnicos do GATE, que retratava os mesmos problemas recorrentes nos cemitérios municipais.

“Os secretários reafirmaram sua preocupação com as questões postas, indagando sobre a possibilidade de terceirização dos serviços mediante concessão pública, com o que não se opôs esta Promotora de Justiça, a qual afirmou sobre a necessidade premente de revisão da legislação, já bastante anacrônica, com previsão, inclusive, de crematórios no município”, concluiu.
Em virtude do horário, cada cemitério comporta 11 sepultamentos por dia. Segundo a Prefeitura, foram criadas desde 2017 72 novas vagas no São Miguel, 21 novas no Pacheco, 5 novas no São Gonçalo e 5 novas em Ipiíba, somando 103 novas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *