Traficantes do Salgueiro reagem a operação de três batalhões

Augusto Aguiar –

Policiais militares de três municípios, 7º BPM (São Gonçalo), 12º BPM (Niterói) e 35º BPM (Itaboraí), desencadearam uma operação conjunta na manhã de ontem para reprimir a criminalidade no conjunto de comunidades do Complexo do Salgueiro. Eles constataram que bandidos ligados à facção Comando Vermelho (CV) e liderados pelo marginal Thomaz Jhayson Vieira Gomes, o 2N, estariam fortemente armados. Além da venda de drogas e homicídios, o criminoso, que tem uma recompensa de R$ 10 mil por informações que levem à sua captura, é apontado por envolvimento numa série de ataques a caixas eletrônicos e roubos de cargas em São Gonçalo.

Operação no Salgueiro - Polícia Militar

Durante a operação desta quinta-feira (20), dezenas de policiais se posicionaram em várias entradas do Complexo do Salgueiro, onde foram montadas blitzes para abordagens a motocicletas e outros veículos suspeitos. Em outra frente de repressão, policiais percorreram localidades consideradas perigosas até mesmo para os moradores da região com apoio de um veículo blindado e agentes do Serviço de Inteligência. Vários confrontos foram registrados e, até o fim da manhã, cerca de 20 motocicletas em situação irregular e quatro veículos de passeio haviam sido apreendidos. No mesmo período não foram registradas prisões, mas durante a tarde o patrulhamento permaneceu intensificado na região. Na praça do bairro Itaúna, PMs realizaram várias abordagens. Por volta das 10 horas um reboque já estava lotado com motocicletas apreendidas.

Uma hora depois traficantes armados com fuzis atiraram contra várias guarnições que estavam no patrulhamento no largo, na entrada do Salgueiro, pela Estrada da Conceição. Moradores, comerciantes e pedestres procuraram abrigo para não serem baleados. Policiais militares se posicionaram nas esquinas prontos para o revide, em busca de onde partiam os tiros.

Polícia MilitarOs informes sobre a quantidade de armas (sobretudo fuzis) que estaria em poder dos traficantes do Complexo do Salgueiro chamou ainda mais a atenção e ligou um alerta, sobretudo nas últimas semanas. Após um roubo de carga em São Gonçalo, criminosos teriam postado uma foto nas redes sociais portando dezenas de fuzis dos mais diferentes modelos e calibres, alguns equipados com miras telescópicas.

Armamento pesado
É exatamente a compra de armas com grande poder de destruição por criminosos que preocupa as autoridades do estado. Oficialmente, desde a manhã de ontem a Polícia Civil voltou a ter uma unidade especializada em investigações sobre a origem de armas que chegam ao estado: a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), que substituiu a Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae), desativada em 2011 e terá como titular o delegado Fabrício Oliveira, que era delegado assistente da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

De acordo com levantamento da Polícia, o número de armas apreendidas no primeiro bimestre desse ano no estado superou o mesmo período do ano passado: 569 armas.

Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), o ano de 2016 fechou com a polícia apreendendo 371 fuzis no estado. Na ocasião, os batalhões que fizeram as maiores apreensões de fuzis no estado foram o 41º BPM/Irajá (49), Bope (43) e 9º BPM/Rocha Miranda (23). Entre os principais modelos apreendidos estão o AR-15 (103), AK-47 (83) e FAL 7.62 (48). Nos nove primeiros meses do ano, as policias Civil e militar de Niterói, de acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), registrou pelo menos 300 ocorrências de apreensões de armas (de vários modelos) nas delegacias da chamada Grande Niterói, que se estende até Maricá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *