Projeto apresenta os espetáculos Bagunçalhadaria e Recontando O Pequeno Príncipe

O projeto 1001 Espetáculos, da Spiral Criativa e Instituto JCA, apresenta no sábado, dia 2, os espetáculos Bagunçalhadaria e Recontando O Pequeno Príncipe, no Centro Pró Melhoramento do Bairro Caramujo, em Niterói. Quem comanda as atrações é a companhia Arte Corpo. As apresentações dos espetáculos acontecem às 10hs e às 14hs, a indicação é livre. Os espetáculos são gratuitos e contam com autodescrição e libras. É necessário chegar com 30 minutos de antecedência para garantir lugar.

O projeto 1001 Espetáculos teve inicio em agosto e já passou por Niterói e Nova Friburgo. Até o final de dezembro, o projeto terá apresentações na cidade do Rio de Janeiro. Os próximos destinos são as cidades de Macaé, Campos dos Goytacazes e Itaperuna. Ao todo, até maio de 2018, o projeto vai oferecer 200 oficinas e 90 espetáculos teatrais gratuitos, beneficiando mais de 20 mil crianças, de 40 escolas públicas, e 33 mil espectadores em periferias com pouco ou nenhum acesso a equipamentos teatrais.

O espetáculo será encenado em um ônibus transformado em equipamento teatral, com direito à estrutura de camarim, riders de luz e som, cenografia técnica e mobiliário de plateia. Durante a semana, o 1001 Espetáculos ocupa as escolas públicas municipais com oficinas de artes cênicas. Nos finais de semana, o projeto será levado aos espaços públicos com a apresentação de espetáculos de diferentes estéticas teatrais e apoiadas ​em temáticas da cultura popular local 100% acessíveis, ​com recursos de áudio descrição e intérprete de libras. ​ Além de movimentar o mercado cultural local, o projeto vai oferecer espaço para que os comerciantes locais trabalhem durante a realização dos espetáculos em locais públicos.

Era uma vez uma fábrica especial, que pertencia à cidade de Bagunçalhadaria, onde eram produzidos palhaços de todos os tamanhos, tipos, origens e cores. Até que um dia, quando a fábrica estava repleta de encomendas, a máquina quebrou. Ou melhor, alguém quebrou a máquina. Um morador da cidade, que sofria de fobia de palhaços, resolveu arrancar algumas peças para que a fábrica parasse de funcionar. Sem conhecimento sobre a sabotagem, os funcionários ligaram para um especialista em consertar máquinas. Mas, o morador que tinha sido responsável pelo estrago, querendo evitar que a máquina fosse consertada, disse saber exatamente como resolver o problema. Ele vai até o local e enrola os funcionários. E a situação que não era boa fica ainda pior quando a máquina explode e os narizes de palhaço se espalham por todos os lados. Qual não foi a surpresa dos funcionários quando, ao se levantarem, se recompondo dos efeitos da explosão, perceberam que seus narizes ficaram vermelhos, incluindo o do morador medroso, que ficou apavorado. Mas, através de uma apresentação, eles mostram a ele como é bom ser palhaço.

Viajantes de um planeta distante contam histórias por onde passam, e ao chegarem ao planeta Terra uma delas se depara com o livro O Pequeno Príncipe. As outras, imediatamente, têm a mesma ideia e passam a narrar e viver essa linda história de aventura, suspense, amor e amizade. E assim, como mágica, personagens e bonecos se misturam e ganham vida através das cenas. Eles vão tecendo a trama como Pequeno Príncipe, Serpente, Aviador, Raposa ou Rosa e recontam a história.

As peças serão apresentadas na Rua Pastor José Gomes, 637, no bairro Caramujo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *