PRF e Inca unidos na campanha de prevenção ao câncer infantil

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Instituto Nacional do Câncer (Inca) seguem promovendo ações de alerta sobre o câncer infanto-juvenil. A iniciativa tem como objetivo conscientizar quem circula em locais, como a Ponte Rio-Niterói, por exemplo, em transportes públicos, sobre os sinais e sintomas da doença. A chefe do Serviço de Oncologia Pediátrica do Inca, a médica Sima Ferman, é uma das pessoas engajadas na causa e no dia 29 do mês passado participou da ação, entrando em coletivos e junto com o inspetor Maia, membro da Comissão de Direitos Humanos da PRF, passou orientações e distribuiu, junto a agentes federais, folhetos explicativos sobre a importância da prevenção do câncer infanto-juvenil. O Dia D da campanha será em 23 de de novembro, quando será realizada uma visita da PRF às crianças em tratamento no Inca.

“A campanha foi realizada em outros estados, mas no Rio é a primeira vez. As pessoas precisam ter uma noção do que é a doença e a importância de um trabalho de prevenção. Prevenir pode salvar uma vida. A PRF está somando forças para ajudar a quem sofre com a doença”, afirmou Maia. Estima-se que ocorrerão cerca de 12.600 casos novos de câncer em crianças e adolescentes no Brasil por ano em 2016 e em 2017. As regiões Sudeste e Nordeste apresentarão os maiores números de casos novos, 6.050 e 2.750, respectivamente, seguidas pelas regiões Sul (1.320), Centro-Oeste (1.270) e Norte (1.210). Nas últimas quatro décadas, o progresso no tratamento do câncer na infância e na adolescência foi extremamente significativo. Hoje, em torno de 70% das crianças e adolescentes acometidos de câncer podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados. A maioria deles terá boa qualidade de vida após o tratamento adequado.

“Atendemos a demandas do SUS e nesse trabalho desenvolvido com idades de 0 a 19 anos ressaltamos a importância de diagnosticar cedo a doença. As maiores incidências são de leucemia, linfoma e câncer no sistema nervoso central. É importante a prevenção. Quanto maior a concentração maior a importância do alerta com a gravidade da doença. Assim aumentamos as chances de cura. É muito bom saber que a Polícia Rodoviária Federal abraçou essa causa”, explicou Ferman, acrescentando que atualmente o Inca recebe pacientes de outros municípios, estados e países. Assim como em países desenvolvidos, no Brasil o câncer já representa a primeira causa de morte (7% do total) por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos, para todas as regiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *