PM quer retirar moradores de rua das calçadas de Icaraí

Raquel Morais –

O setor de planejamento do 12º BPM (Niterói) está montando uma Força Tarefa, em conjunto com algumas secretarias da Prefeitura de Niterói, para uma ampla ação em Icaraí. A novidade foi confirmada depois de mais notícias negativas da Segurança. Após problemas apontados pela reportagem de A TRIBUNA sobre a Rua Joaquim Távora, na semana passada, agora a Rua Presidente Backer, no mesmo bairro, é alvo de muita reclamação de pedestres, moradores e comerciantes locais. As queixas vão desde moradores de ruas e usuários de drogas a pedintes que usam da insistência e intimidação para coagir as pessoas.

O trecho mais perigoso, segundo os moradores, fica entre as ruas Tavares de Macedo e Gavião Peixoto, mais precisamente em frente à agência do Banco do Brasil. No espaço, o número de pedintes assusta quem precisa entrar na agência, por exemplo.

“Eles são muito inconvenientes e pedem dinheiro, nos olham de cara amarrada e ainda ficam vigiando o que a gente está fazendo dentro do banco. Sempre que tenho que ir lá vou acompanhada do meu filho, só assim me sinto segura. Parece que estamos sendo olhados o tempo todo e é uma sensação de insegurança muito ruim”, comentou uma aposentada que não quis se identificar.

Além dos pedintes, os moradores de rua também são alvo de reclamações por usarem drogas em qualquer hora do dia.

“O problema é a falta de fiscalização e como a cidade é grande, quando eles são retirados de um local se instalam em outro. Justamente o que tem acontecido na Rua Joaquim Távora, onde a calçada tem mais de 10 moradores de rua dormindo todos os dias”, pontuou a dona de casa Regina Cunha, de 39 anos, moradora de Icaraí.

O capitão Carlos Henrique, do 12º BPM (Niterói), confirmou que o local tem patrulhamento bem ostensivo, mas a demanda de Niterói é muito grande.

“Não conseguimos priorizar essa rua. Temos que ter a maior abrangência possível para tentar evitar os crimes, mas para essa semana vamos marcar com a Prefeitura de Niterói para montarmos uma Força Tarefa. Essa ação deve reunir várias secretarias, principalmente para tratarmos a relação da dependência química dessas pessoas, que é um problema de saúde pública”, frisou o militar.

A Prefeitura de Niterói informou que as equipes de abordagem da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH) seguem uma rota diária de abordagem nos bairros com maior concentração de pessoas em situação de rua: Centro de Niterói, Icaraí, São Domingos e Boa Viagem, além de pontos específicos em torno da cidade. Durante a abordagem, os agentes conversam com as pessoas e as convidam para o Centro Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop). No entanto, de acordo com a legislação brasileira, a ida e a permanência no abrigo não são obrigatórias.

Disse ainda que as vias citadas na reportagem estão dentro do cronograma das ações para identificar e buscar o encaminhamento dessas pessoas aos órgãos competentes para tratamento, quando necessário, bem como a ressocialização delas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *