Operação da Core resgata oficial da PM no Anaia

Augusto Aguiar –

Uma operação de resgate, na tarde de domingo (03), resultou de um intenso confronto na região do Anaia, em São Gonçalo. A ação, que contou até com apoio de helicóptero, obteve êxito no resgate de um major da PM, que havia sido mantido refém na localidade. A vítima, identificada como o oficial Joelmir dos Santos, foi resgatada com vida. Joelmir passou por um pesadelo ao ser rendido por criminosos, que teriam descoberto que sua identidade e, por isso, o levaram para a comunidade do Anaia.

Lotado no Comando de Operações Especiais (COE), o major conduzia seu veículo, modelo Troller, quando foi rendido por bandidos e levado para o interior de uma das comunidades que compõem o complexo do Anaia. Segundo informações, o policial foi amarrado e colocado dentro do porta-malas de seu carro. Ao serem informados da ocorrência, agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), da Polícia Civil, montaram uma operação, com equipes em terra e pelo ar, e invadiram a localidade onde o major era mantido do refém. Houve intensa troca de tiros, que assustou os moradores e quem passava pela região na tarde de domingo. Nas redes sociais, os moradores comentaram que o tiroteio foi intenso.

De acordo com o policial sequestrado, os criminosos pegaram seus cartões e a senha para tentar realizar saques. Eles diziam que estavam esperando acabar as operações nas favelas de São Gonçalo para levá-lo para um lugar isolado, onde seria executado, provavelmente no Complexo do Salgueiro. Os bandidos também prometiam esquartejar o corpo e atear fogo, para que fosse mais difícil para a polícia encontrá-lo.

As primeiras informações davam conta que a vítima seria supostamente um delegado da Polícia Civil, mas na região os agentes perceberam que se tratava de um oficial da PM, de acordo com informes chefe do Centro de Instrução do COE. A polícia também informou que do local de onde era mantido refém, o militar conseguiu gravar um vídeo pedindo socorro e resgate. Até o fim da manhã de ontem, também não havia informações sobre a localização de uma mulher que acompanhava o major no momento em que ele foi rendido e mantido como refém durante boa parte do domingo. Após a libertação, Joelmir prestou esclarecimento da ocorrência na Divisão de Homicídio de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *