Novo aumento no gás de cozinha e comercial

Raquel Morais –

Tamanha repetição fez a notícia do aumento do gás liquefeito de petróleo (GLP) não impactar mais os niteroienses e gonçalenses. Mais uma vez o bolso do brasileiro terá mais um aumento nesse produto. A Petrobras reajustou, nesta segunda-feira (04), em 8,9%, em média, o preço do gás para uso residencial, em botijões de até 13 quilos. O reajuste do gás de cozinha entrou em vigor à 0h desta terça (05).

O aumento se deve principalmente à alta das cotações do produto nos mercados internacionais, que acompanha a alta do Brent, (petróleo cru), que indica a origem do óleo e o mercado onde ele é negociado, segundo a Petrobras.

O percentual anunciado de reajuste leva em contra preços praticados sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado ao consumidor, a Petrobras estima que o preço do botijão de gás de cozinha de 13 kg deve subir, em média, 4%, ou cerca de R$ 2,53 por botijão, isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

Alta no comércio
A Petrobras também reajustou em 5,3% o valor do GLP destinado aos usos industrial e comercial. Comerciantes do ramo de alimentação e de distribuidores do próprio cilindro não aprovaram a alteração do preço.

O comerciante Alexandre Pinheiro, de 65 anos, tem um pequeno comércio em Neves, São Gonçalo, e admite que usa ainda o gás residencial para preparar a comida que vende. “Em breve pretendo usar o gás comercial, pois até esse menor está muito caro”, comentou Alexandre, que paga R$ 65 por botijão. Ele ainda acrescentou que acredita que a diferença entre os preços dos cilindros vai valer a pena na hora do pagamento.
Um outro empresário do ramo alimentício que não quis se identificar também confessou que usa o botijão de 13 quilos e acha mais vantajoso do que o comercial e industrial, mesmo usando 15 botijões por mês.

O gerente de uma revenda de botijões no bairro São Lourenço, em Niterói, Cláudio Luís de Paula, disse que o aumento de 5,3% já foi repassado pela estatal, mas não cairá sob o preço do gás para o cliente final. “Estamos em tempo de crise e não vamos aumentar os valores, que estão congelados há mais de um mês”, pontuou. O cilindro com 20 quilos é vendido por R$ 130 e o de 45 quilos por R$ 260. Se o índice fosse repassado, os dois custariam R$ 136,89 e R$ 273,78, respectivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *