A Tribuna RJ

CORPO NA MALA: UM CRIME PARA SHERLOCK HOLMES

CORPO NA MALA: UM CRIME PARA SHERLOCK HOLMES Publicado em: 12/01/2012

Texto: Augusto Aguiar
Foto: Bruno Eduardo Alves

Moradores da Rua Professora Lílian Lemos Mercadete, no Fonseca, nas imediações das comunidades do Santo Cristo e Coronel Leôncio, se depararam com um crime macabro, na manhã de ontem. Ao lado de uma árvore, junto ao número 110, foi encontrado o cadáver de um homem branco, sem identificação, com idade presumível de 25 anos, dentro de uma mala de viagem de cor preta (modelo com alça e rodinhas). A vítima apresentava ferimentos na cabeça, como se tivesse sido torturada antes de ser executada e colocada dentro da mala.
Uma das versões que estão sendo investigadas pela Delegacia Legal do Fonseca (78ª DP) é que a vítima teria sido morto por traficantes de uma das comunidades vizinhas (durante a madrugada), depois teve o corpo ajeitado cuidadosamente dentro da mala, e finalmente arrastado até o local onde foi encontrado na manhã de ontem. Segundo a polícia, na tarde do dia anterior, uma outra vítima teria sido assassinada na Coronel Leôncio, o que leva a desconfiança que os dois crimes possam ter alguma relação.
Moradores disseram que na manhã de ontem uma gari realizava o recolhimento de lixo nas caçambas instaladas em frente às residências da rua (que é sem saída), quando se deparou com a mala abandonada junto ao número 110. Sem perceber do que se tratava, ela então perguntou a um morador se era para levar a mala junto com outros detritos que estavam na lixeira ao lado. Foi então que, tanto o morador, quanto a gari, perceberam que, além da mala estar muito pesada, ainda estava com manchas de sangue, portanto algo de muito grave teria ocorrido. “Alguns moradores chegaram a pensar que o conteúdo da mala seria um cachorro, mas ninguém se atreveu a abrir. Achamos melhor chamar a polícia”, disse o morador.
A pior expectativa dos moradores foi confirmada assim que peritos da Polícia Civil se juntaram aos agentes da 78ª DP e PMs do 12º Batalhão que estavam no local. Diante da curiosidade geral, ao abrirem a mala todos se depararam com o corpo de um homem branco, cuidadosamente ajeitado. O cadáver apresentava um ferimento na cabeça, como se tivesse recebido uma forte pancada. Num primeiro momento não foi encontrada nenhuma marca de tiro. Peritos não chegaram a retirar o cadáver de dentro da mala, preferindo providenciar a remoção para o Instituto Médico Legal (IML/Tribobó) da forma como encontraram.



A Tribuna Copyright © 2008
Redação, Administração, Publicidade e Industrial: Rua Barão do Amazonas, 31, Ponta D'areia, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil Telefones: (021) 2719-1886 / 2719-1497.
Criação e Desenvolvimento: Guttdesign Comunicação e Webdesign