Niteroiense a caminho do Bolshoi

Uma niteroiense de 10 anos passou para a tão concorrida Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, única escola do Bolshoi fora da Rússia. A moradora de Piratininga, na Região Oceânica, Sophia Pierre Cury Pontes, ocupará uma das 40 vagas para a primeira série da escola de dança e concorreu com 5.872 candidatos, entre meninos e meninas. A moradora de Itaboraí, Geovanna França Hammerschlag, também conseguiu a aprovação da seletiva que aconteceu em Joinville/SC na semana passada.

De acordo com informações da própria escola de dança, este ano 5.873 candidatos se inscreveram, para as pré-seleções que aconteceram em 26 cidades brasileiras. Tão concorrida quanto um curso de medicina, nesta primeira fase, a seleção contou com 121 candidatos por vaga. Foram disponibilizadas vagas para o curso técnico e básico da instituição sendo 20 vagas para turma masculina e 20 vagas para turma feminina nascidos nos anos de 2007, 2008 e 2009. A mãe da menina, a engenheira Roberta Pierre, de 35 anos, explicou que a menina sempre teve boa elasticidade e sempre gostou de dança, mas só começou a frequentar aula de ballet após a aprovação.

“Ela me pediu para fazer o teste e eu levei e ela foi aprovada. Só aí eu comecei a entender tudo que estava acontecendo. Matriculei ela nas aulas e vou fazer minha vida em Joinville em busca de realizar o sonho da minha filha de ser bailarina. Estou muito emocionada com tudo isso que aconteceu e é uma alegria muito grande ver a minha filha tão entusiasmada”, pontuou.

A professora da menina, a bailarina formada pelo Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Denise Gasos, que tem um estúdio com seu nome em Itaipu, também elogiou a aluna. “Ela tem disciplina, carisma e um dom especial. Ela vai ser primeira bailarina da companhia”, profetizou. Sophia gostou da novidade. “Sempre gostei de dança e eu sonho em ser uma bailarina. A dança tá no meu coração e eu quero dançar para sempre”, finalizou.

A organizadora da pré seleção da escola no Rio de Janeiro, Marcela Sena, 32 anos, também parabenizou a niteroiense. “Quando a gente sonha e realiza um sonho é muito gratificante. Eu fico feliz e me vejo na história dessa menina e é uma alegria e uma satisfação imensa que eu sinto. Coloquei toda minha energia e todo meu amor nesse projeto. Não tem melhor formação no Brasil do que a escola do Bolshoi no Brasil”, contou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *