Mulheres representam apenas 13% na política

Raquel Morais –

Uma pesquisa feita pelo Movimento Transparência Partidária apontou que as mulheres representam apenas 13% do número total de candidatos eleitos. Apesar do aumento da expressão feminina na política nacional elas ainda não ocuparam a quantidade necessária para representar os interesses femininos na política. Em Niterói apenas duas vereadoras ocupam o parlamento, enquanto em São Gonçalo e Itaboraí apenas uma representatividade por município. Já em Maricá não tem nenhuma mulher vereadora.

A pesquisa “Um olhar sobre a participação da mulher na política brasileira nos últimos 10 anos” apontou que em 2010, o Brasil teve 3.618 mulheres candidatas, das quais 193 foram eleitas. Já em 2014, foram 6.470 candidatas, mas 177 venceram os pleitos. O estudo aponta que as taxas de sucesso (proporção de mulheres eleitas em relação à quantidade de mulheres candidatas) das mulheres nas eleições vêm caindo. Nas eleições dos últimos 10 anos, esse número foi 40% inferior quando comparado aos dos homens. Na média, 6% delas conseguiram se eleger, enquanto, entre os candidatos homens, 15% saíram vitoriosos.

Em Niterói apenas duas mulheres são vereadoras, o que corresponde a cerca de 10% do parlamento (21 cadeiras): Talíria Petrone (Psol) e Verônica Lima (PT). A Câmara Municipal de São Gonçalo conta com a vereadora Isa Deolinda (MDB) e em Itaboraí apenas Joana Lage (PTB). Já em Maricá não tem nenhuma mulher na Câmara. Talíria comentou essa disparidade em Niterói. “O Brasil tem representação política de mulheres menor do que o Afeganistão. As mulheres não estão representadas e com isso não viram prioridade na produção de política pública. Devemos romper isso para as demandas serem mais representadas”, exemplificou.

Segundo nota divulgada pelo movimento nas eleições municipais, houve crescimento de quase 100% na quantidade de candidatas na última década. Em 2008, eram pouco mais de 74 mil mulheres concorrendo aos cargos de chefe dos executivos municipais e vereadoras. Em 2016, foram mais 147 mil candidatas em todo o país. Se em 2008 elas representavam apenas 21% do total de candidaturas, em 20160 já eram 32%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *