Lobão critica corrupção

Wellington Serrano –

O cantor João Luiz, mas conhecido como Lobão, aproveitou entrevista para A TRIBUNA, momentos antes de um show, nesta quinta-feira (11), em Piratininga, na boate Palm Club, para criticar duramente a corrupção e a classe política brasileira. O discurso veio ao falar sobre o lançamento de seu livro “Guia Politicamente Incorreto dos anos 80 pelo rock” no qual ele revelou que começou a escrever com a intenção de detonar os anos 80, mas acabou “fazendo as pazes” com a década.

“Não é de graça que o Brasil é essa terra do nunca que se recusa a crescer. Por exemplo, o patamar artístico ainda está em 1922. Tudo que consideramos conceitualmente legal, tipo macunaíma, não ter caráter, ser malandro, dar o jeitinho Brasileiro, a precariedade, o feio o pobre e o desdentado se vigora até hoje. Nós não tivemos nenhum movimento antagônico a isso”, disse o cantor e compositor.

Segundo ele, o Brasil é um país de demente onde o político não tem a menor honestidade intelectual. “Lutei pelo Lula, mas percebo agora que ele é um criminoso e por isso não vou apoiar o partido. Evidente, claro e irrefutável que o PT é um partido de criminosos. Tem alguém mais macunaíma que o Lula?”, lamentou.

Lobão disse que não tem ninguém que o levasse as urnas para votar. “O Brasil não tem uma opção. Com a mentalidade que o brasileiro possui, o país não tem salvação. Se tivesse um nicho sequer da sociedade, minoritário que fosse, que pensasse corretamente, mas isso não existe”, afirmou.
Lobão ressaltou que não precisa chegar às vias de fato de uma eleição para determinar a falência do Brasil. “Não temos como sair dessa lama! eleger o Bolsonaro é preocupante, na verdade os 23 anos do período militar, além do autoritarismo que eles ficaram no poder e estatizaram tudo, como a Petrobras, que na crise do petróleo em 1974 acabou com tudo e veio àquela inflação toda”, realçou.

Independente musicalmente Lobão enfatiza que está não está ligado na politica no Brasil. “Não concordo com o monobloco da esquerda e nem como essa direita conservadora, histérica e moralista. Os eleitores de Bolsonaro formam um perfil psicológico horroroso, eles são fanáticos, reativos, histriônicos, facilmente manipulado e reativo”, criticou.

“O Bolsonaro é uma pessoa intelectualmente tosca, um capitão do Exercito que vai se tornar um fantoche nas mãos dos políticos antigos, ele não tem capacidade de administrar o país, botar o Bolsonaro no poder é uma temeridade, pois ele vai fazer o que aconteceu na didatura miliar, isto é vai transformar o opositor da esquerda num vilão e não resolver nada”, concluiu.

Sobre o Crivella Lobão disse que foi uma opção da população por falta de opção. “Não ter uma opção melhor é um problema da população, ainda bem que não elegeram o Freixo que é pior”, comentou ele que acrescentou: “É o horroroso com o pavoroso”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *