Homens ainda são a maioria quando o assunto é CNH

Raquel Morais –

Estatísticas divulgadas pelo Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ) apontam que caiu o número de emissão das Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) emitidas como primeiro documento. Quando comparados os primeiros trimestres de 2016 com 2017 a queda na emissão das vias femininas foi de 8,40% e as masculinas 6,21%. No mês do Maio Amarelo é preciso conscientizar sobre todas as questões que envolvem a direção: como manutenção veicular, boas condições físicas e emocionais do condutor e até mesmo importância de portar os documentos necessários, do condutor e do veículo.

Nos primeiros três meses de 2017 foram emitidas 15.601 primeiras habilitações para mulheres, contra 17.031 no mesmo período de 2016, o que representa os 8.40% de queda. O mês de março foi o que apresentou maior queda, de 6.038 documentos em 2016 para 5.306 em 2017, retração de 12,12%. Já no público masculino, no primeiro trimestre de 2017 foram emitidas 24.848 CNHs contra 26.493 em 2016, menos 6,21%. Já fevereiro foi o que apresentou maior queda nas emissões dos documentos masculinos: de 8.170 para 7.488.

Quando o assunto é sobre gênero os homens estão liderando o ranking frente às mulheres, já que no último mês atualizado, março de 2017, 8.399 homens tiraram a CNH contra 5.306 mulheres, ou seja 2.793 homens a mais do que o ‘sexo frágil’. Porém, Dr. Dirceu Rodrigues Alves Júnior, um dos diretores da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), credita uma melhor qualidade de direção nas mãos e pés femininos. “Agilidade, a pressa, muitas vezes a compulsão para velocidade são fatores presentes no universo masculino. Daí podermos entender que o homem na direção veicular tem todos os componentes para a sinistralidade. Observe que os acidentes são de médio a graves, quase sempre com vítimas. Já com as mulheres temos mais frequentemente os acidentes leves, sem vítimas, com pequenos danos materiais”, comentou.

O estudante Gabriel Kalahy, 18 anos, começou ontem a fazer parte das estatísticas ao conseguir ser aprovado no teste do Detran. “Achei o processo fácil e difícil ao mesmo tempo. Fiquei muito nervoso na proa prática, mas consegui passar e estou muito feliz. Sempre quis ter CNH e consegui realizar esse sonho”, comentou. Seu instrutor, que não se identificou, confirmou a maior parte dos alunos homens nas salas dos Centros De Formação de Condutores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *