Helil Cardozo vai processar Odebrecht por nome em delação

Wellington Serrano

O presidente do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Leste Fluminense (Conleste), Helil Cardozo (PMDB), disse que vai processar a empreiteira Odebrecht por danos morais. Seu nome aparece na delação do diretor regional da empresa, que declarou ter dado dinheiro para campanha eleitoral em Itaboraí. Em troca, a multinacional teria recebido apoio para a privatização do sistema de saneamento do município. As obras, no entanto, nunca saíram do papel, conforme divulgou A TRIBUNA na edição desta quarta-feira (19).

Segundo o delator, a tentativa de concessão do serviço não deu certo, mas a empresa chegou a dar dinheiro ao deputado federal Eduardo Cunha em busca de uma negociação. Helil é acusado de ser um afilhado político de Eduardo Cunha e, de acordo com as gravações da delação, será investigado por ser um intermediário das transações com Cunha, que segue preso.

“Nesse período em que estive como diretor regional, Eduardo Cunha procurou Fernando Cunha Reis, que era meu superior hierárquico, porque tinha relações políticas com ele e reportou ao Fernando que o prefeito de Itaboraí tinha interesse de privatizar o saneamento no município (…) No final de junho, recebi uma orientação do meu superior hierárquico, Fernando Reis, que ele havia recebido uma solicitação de doação de campanha, para campanha de deputado do Eduardo Cunha, de R$ 300 mil. Esse pagamento seria feito via caixa 2 (…) Encontrei esse pagamento, ele aparece com o codinome Calota e teria sido feito no final de julho”, disse o delator, em depoimento.

“Vai ter que provar. Como não provará, será processado. Ele e a empreiteira. Essa gente não pode sair por aí, impunemente, jogando na lama o nome das pessoas. Essa denúncia é infundada e não só me prejudica pessoalmente, mas também a minha luta pela minha região. Os ladrões são eles, pode publicar aí no jornal”, afirmou Helil.

O ex-prefeito de Itaboraí disse que nunca teve envolvimento com essas pessoas. “Não existe nenhuma prova sobre esse envolvimento e contato. Sobre a perspectiva de licitação, a Odebrecht nunca participou de nada. E olha que a licitação é pública, pois foi publicada no Diário Oficial do Estado. Verdadeiros bandidos são eles que ficam inventando qualquer coisa para levarem vantagem do prêmio da delação. No entanto, não há provas”, lamentou Helil.

“Então que interesse da Odebrecht eu defenderia para seu ‘Departamento de Propinas’ me dar dinheiro?”, indagou, lamentado que os delatores estejam fazendo de tudo para se dar bem na delação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *