Deputado Milton Rangel revela que César Maia será candidato ao governo do Estado

Wellington Serrano –

O deputado estadual Milton Rangel (DEM) em visita, na tarde desta quarta-feira (10), à redação de A TRIBUNA revelou que pretende continuar em defesa da família fluminense e vai tentar a reeleição para o segundo mandato nas eleições de 2018. Na entrevista, ele fez uma avaliação de sua relação política hoje no estado, falou sobre os desafios a serem vencidos na segurança, saúde e educação e revelou que o vereador César Maia será o candidato do DEM ao Governo do Estado.

“Vivemos um período de crise politica ética e financeira que tem que ser levada a sério por políticos honestos e de caráter comprovado”, disse ao se referir sobre Maia.

Sobre a situação do estado, Milton diz que estamos pagando uma conta muito grande com a corrupção, mas que é preciso defender os incentivos fiscais para as empresas sérias. “Não podemos abrir mão dos incentivos fiscais para atrair as grandes empresas para a geração de empregos”, realçou o deputado.

Ao falar sobre o que é preciso para conseguir verbas através da dívida ativa, o deputado cita que é preciso capacitar os advogados do Estado. Hoje, segundo ele, são R$ 80 bilhões em recursos que resolveriam a crise financeira e tirariam o Rio do buraco. “Como tirar R$ 10 bilhões da Transbrasil, R$ 5 bilhões da Mesbla, e mais R$ 5 bilhões da Petrobras sem um bom advogado? O que a dívida ativa rende hoje é muito pouco para o governo, cerca de R$ 1 milhão”, ressaltou mostrando que é preciso encontrar um remédio para arrecadar mais.

Segundo Rangel, a questão da arrecadação, a insegurança e as empresas saindo do estado afugentaram os investimentos. “A dependência dos royalties que quase foram divididos com o restante do país, quando o então presidente Lula tentou tirar uma parte dessa compensação, o que seria muito pior, foi um pano de fundo para a crise”, disse.

Sobre a folha de pagamento do governo do estado, Rangel disse que é preciso rever a situação. “Hoje temos uma folha de aposentados igual à de ativos, pagamos cerca de R$ 2 bilhões por mês, são R$ 28 bilhões por ano, com o 13º com uma arrecadação de R$ 46 bilhões. Sobram R$ 18 bilhões para os presídios, a educação – que envolve a Faetec, a manutenção hospitalar, as Upas, remédios e equipamentos de segurança, além das dívidas. Por isso que a conta não fecha”, falou.

Em uma análise de sua média eleitoral Rangel disse que os 28.957 mil votos foram conquistados através do apoio que teve através da Igreja Mundial do Poder de Deus para o seu resultado eleitoral, mas explicou que na campanha para as próximas eleições pretende buscar votos fora.
“Vamos pregar a igualdade e tratar as pessoas dentro do respeito à família, que hoje está muito atacada pela sociedade como um todo”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *