Copa de 2026 será sediada por EUA, México e Canadá

Nesta quarta-feira (13), a tríplice norte-americana formada por Estados Unidos, Canadá e México venceu a disputa com Marrocos para sediar a Copa do Mundo de 2026. Em Congresso da Fifa realizado em Moscou, capital da Rússia, sede atual do torneio, as mais de 200 associações nacionais de futebol participaram de uma votação para determinar a grande vencedora. Será a primeira vez que três países receberão o evento juntos.

Cada candidatura teve 15 minutos para se apresentar. Carlos Cordeiro, ex-banqueiro e atual presidente da candidatura americana, prometeu ganhos que chegariam a 11 bilhões de dólares para a Fifa e suas associações e foi muito aplaudido pelos presentes. Além de deslocamentos mais rápidos e distâncias menores entre as cidades-sede, os marroquinos prometeram “um país apaixonado” por futebol e 5 bilhões de dólares de lucro para a Fifa. Ganhou o poderio financeiro dos EUA e companhia, que ganharam por 134 votos a 65 dos africanos.

Se o lucro prometido pelos vencedores se confirmarem, a Fifa receberá um valor cerca de quatro vezes maior do que recebeu no Mundial do Brasil, em 2014, que rendeu uma quantia de ‘apenas’ 2,6 bilhões de dólares. O Brasil, por sinal, fez parte da minoria que votou na candidatura de Marrocos.

Desta forma, os três países que sediarão a Copa do Mundo de 2026 garantem vaga no torneio. Será a primeira Copa disputada sob a nova fórmula criada pela Fifa. Diferente do que se viu até hoje, a competição passará a contar com 48 seleções (são 32, atualmente). O torneio ainda terá mais uma parada antes de chegar à América do Norte: o Qatar, em 2022, ainda sob a fórmula atual de disputa.

Nesta quinta-feira (14), ocorre a festa de abertura e a partida inaugural da Copa da Rússia. A partir das 12h (no horário de Brasília), a seleção anfitriã encara a Arábia Saudita, em Moscou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *