Aparecida triplicou a população no encontro do “Terço dos Homens”

No fim de semana a pequena cidade de Aparecida do Norte, em São Paulo, recebeu mais de 110 mil visitantes de todo o país para a 9ª Jornada Nacional do Terço dos Homens, com a sua gigante basílica sendo pequena para as 70 mil pessoas que participaram das missas de sábado e de encontros paralelos e conheceram os pontos sagrados da cidade, que adquiriu importância como centro de turismo religioso.

O movimento nascido em 2009 teve a participação de apenas 600 romeiros e foi crescendo por todo o país, dentro da visão de que o hábito da oração do terço não ser privativo apenas das mulheres ou “uma prática das vovós”. Pensá-lo como uma prática entediante é questão do passado, pois cresceu por todas as paróquias do país e cresce aqui no Estado do Rio, que para lá mandou mais de 40 dos quase mil ônibus que estavam em Aparecida desde sexta-feira.

Alguns romeiros comemoravam: “Parece o dia em que o Papa Francisco esteve aqui”.

A programação começou na sexta-feira no altar central da Basílica. Uma procissão seguiu até o Porto Itaguassu, iluminado, local onde a imagem de Aparecida apareceu a três pescadores, permitindo, a seguir, o milagre da aparição de peixes em quantidade, isto no ano de 1717. Os homens do terço permaneceram em vigília e adoração ao Santíssimo Sacramento, até que se reuniram em frente à Tribuna Papa Bento XII, às sete da manhã do sábado. O encontro foi marco da consolidação do movimento do Terço dos Homens, todos vestidos com camisas indicando as paróquias e as cidades das quais procediam. Nas missas, eles erguiam as mãos ostentando os abençoados terços.

A missa solene foi celebrada pelo arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil Antonio Moreira, que saudou o novo Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, bispos,padres presentes e os grupos de romeiros.

Muita gente também assistiu missas na Catedral antiga, construída em 1888 e em outras igrejas, inclusive as de São Benedito e a de São Geraldo, esta na entrada do Porto Itaguassu. A antiga Catedral é ligada ao Santuário Nacional por uma passarela de 420 metros, construída em 1972 por Mário Aandreazza, na época empenhado também na construção da Ponte Rio-Niterói. Mas antes das duas existiu uma em 1745.

Comparação com Búzios
A grande concentração das famílias em Aparecida, longe de um feriadão e marcado pela religiosidade, supera a procura pelo balneário de Búzios, no Estado do Rio, onde o prefeito local anunciou a cobrança de um pedágio para as pessoas que a visitarem nos fins de semana. A cidade de Aparecida tem um perímetro urbano de 5 km² e o município uma área total de 121 km², com 36.217 residentes. Armação de Búzios tem uma área de 69 km², sendo uma península de muitas praias, com uma população fixa de 23.463 habitantes, mas nos feriadões chega a reunir 100 mil pessoas. Na cidade paulista não há a exploração dos visitantes, a ponto de uma diária média ser de R$ 170 com direito ao café da manhã, almoço e jantar de qualidade, além do direito ao estacionamento. Na área do Santuário, o estacionamento para veículos de passeio custa R$ 15 por 12 horas e os táxis cobram a taxa fixa de R$ 20 para qualquer destino. A garrafinha de água mineral, por exemplo, custa R$ 2 e na feira de artesanato os romeiros se admiram com a variedade e o baixo custo das mercadorias.

Búzios está distante 150 km de Niterói, com muito engarrafamento rodoviário e urbano e Aparecida está distante 173 km no trecho entre o entrocamento da Linha Vermelha com a Via Dutra e mais dois até o centro da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *